Bruxelas: roteiro inspirado na Banda Desenhada

A arte dos quadradinhos é levada muito a sério em Bruxelas, onde nasceram vários heróis da BD belga. Numa visita recente, percebemos porque esta é a inquestionável “capital da banda desenhada”

Explorávamos nos arredores da Grand Place, quando nos deparamos com uma larga avenida em obras. Os painéis de protecção não eram enfadonhos e cinzentos. Pelo contrário, estavam alegremente coloridos com tiradas do Spirou e do Spip, o seu amigo esquilo.

Esta foi a primeira pista de um percurso recheado de grandes murais inspirados nas histórias aos quadradinhos. A nona arte é tão importante que o turismo local criou uma interessante Comic Route. As descobertas multiplicam-se ao ritmo da nossa caminhada, do temerário Tintin ao preguiçoso Gaston Lagaffe.

Afinal de contas a capital belga foi o ponto de partida das suas aventuras, talvez por ser a terra natal de autores como Hergé, André Franquin (o criador de Gaston Lagaffe e Marsupilami) e Morris (o inventor do Lucky Luke).

 

 

Na verdade, há mais de 700 autores de banda desenha na Bélgica, o que ajuda a explicar porque esta se elevou de uma criação popular para uma forma de arte, fortemente enraizada na vida e imaginação dos belgas.

É possível conhecer a casa onde nasceu Hergé, nos arredores de Bruxelas (Rue Philippe Baucq, nº 33, Etterbeek). Em Lovain-la-Neuve, cidadezinha a cerca de 32 km da capital, encontrará mesmo um museu exclusivamente dedicado ao pai de Tintin e Milou.

Mas voltando à residência de Hergé, acrescente-se que perto dali existe ainda uma série de livrarias especializadas como La Bande des Six Nez, BDMania e Atomic Comics, capaz de fazerem os fãs darem saltos de contentamento. Esta viagem inspirada na banda desenhada tem paragens engraçadas perto da Basílica de Koekelberg (Sainctelette square), onde ficou eternizado o agente 15 das histórias do Tintin, e na Rue de Sables, onde mora um gigante Gaston com o seu gato (não chegamos a visitar, mas fica a dica para os verdadeiros aficionados).

 

 

A catedral da banda desenhada

Nesta mesma rua com nome de areia fica a “catedral da BD”, num lindo edifício datado do início do século XX. Projectado pelo arquitecto e precursor da art noveux belga Victor Horta, o edifício começou por ser um armazém de têxteis, antes de se transformar no Centro Belga de Banda Desenhada.

Ali, começamos por reflectir sobre como o desenho foi usado para exprimir as emoções humanas e contar histórias. Destaca-se, por exemplo, o papel dos monges copistas que embelezavam as páginas com belas iluminuras, criando assim a “gramática da BD”, ou dos caricaturistas que usavam o desenho como arma satírica. Há ainda a secção dedicada ao próprio edifício e ao seu autor, antes de nos lançarmos nos recantos mais específicos, com pranchas e edições originais de artistas belgas.

Vários estilos encontram ali expressão, mas os leigos (como eu) procuram heróis das histórias aos quadradinhos como Tintin, Spirou, Bob e Bobette, Lucky Luke, Blake e Mortimer, Marsupilami… Os Smurfs têm um destaque especial, graças ao grande painel com uma centena de homenzinhos azuis, todos eles diferentes, que posam connosco para a foto.

 

 

Depois há ainda espaço para exposições temporárias. Aquando da nossa visita, chamou-me particularmente a atenção, “Héröines au bout du crayon”, uma mostra acerca das mulheres cartoonistas.

Vocês são fãs de banda desenhada? Qual é a vossa personagem favorita?

Centro Belga de Banda Desenhada aqui | Aberto todos os dias das 10h às 18h | Bilhetes: 10€ (adulto), 8€ (seniores), 7€ (12-25 anos), grátis (menores de 12 anos)

 

 

 

2019-01-31T08:02:41+00:00

19 Comments

  1. Rui Barbosa Batista 27 Janeiro, 2019 em 9:47 - Responder

    Estive uma única vez em Bruxelas e, confesso, não achei grande piada. A praça central bonita, o Atomo fechado. Agora, pelo que já te li, vale bem a visita. O melhor mesmo? Esta versão BD… confesso que fiquei encantado com as fotos. E que deu vontade de ir explorar esta nova forma de ver as cidades…

    • Ruthia 27 Janeiro, 2019 em 18:42 - Responder

      Mais uma viagem para fazeres com o teu sobrinho. Beijinho

  2. Angela C S Anna 28 Janeiro, 2019 em 12:34 - Responder

    Eita não sabia dessa do marsupilami! Era um dos meus desenhos favoritos quando criança! Tintin li alguns livros apenas, acho que não gostava da dublagem e preferia os livros. Gostaria de visitar Bruxelas um dia

  3. Tharsila Fernanda Santos Costa 28 Janeiro, 2019 em 13:26 - Responder

    Já ouvi falar bastante desse lance Belga de histórias e quadrinhos e do humor polêmico deles. hehehehe procede? Era viciada em TinTin! Ia amar a lojinha.

    • Ruthia 28 Janeiro, 2019 em 14:02 - Responder

      O meu filho é fã do Astérix, mas com a viagem a Bruxelas começou a explorar o mundo do Tintin. Mais uma coleção para comprar, haha

  4. Bruna 28 Janeiro, 2019 em 16:11 - Responder

    Adorei essa Comic Route, Ruthia! Acho lindo quando a cidade consegue explorar os talentos de seus filhos para espalhar arte e atrair olhares.

  5. Maria Cristina 29 Janeiro, 2019 em 0:43 - Responder

    Sou muito fã! Já havia lido alguma coisa mas não com a riqueza de detalhes que contou!! Agora só me resta ir a Bruxelas para explorar cada cantinho.Obrigada por compartilhar!😍

    • Ruthia 31 Janeiro, 2019 em 13:58 - Responder

      Fico feliz por inspirar a sua próxima visita à capital belga

  6. Gabriela Torrezani 29 Janeiro, 2019 em 14:07 - Responder

    Caramba, que maravilhoso! Eu adoraria fazer essa rota e apreciar os personagens de quadrinhos que nasceram em Bruxelas… muito legal esse post, uma perspectiva bem diferente da cidade.

  7. Eloah Cristina 30 Janeiro, 2019 em 9:39 - Responder

    Adoro inspirações artísticas em minhas viagens! Este tipo de intervenção dá um toque colorido e charmoso para as cidades.

    • Ruthia 30 Janeiro, 2019 em 13:08 - Responder

      Concordo. A maioria das grandes cidades é muito cinzenta e barulhenta, por causa do trânsito e da poluição. Arte faz-lhes um bem danado!

  8. Amanda 30 Janeiro, 2019 em 13:57 - Responder

    Nossa, que legal! Estive em Bruxelas, mas não fazia a menor ideia desse roteiro. Deve ser uma visita e tanto, dá uma nova perspectiva da cidade!

  9. Adriana Lara 30 Janeiro, 2019 em 14:58 - Responder

    eu novamente aqui… hoje com poucas palavras… bjs

  10. Adriana Magalhães Alves de Melo 30 Janeiro, 2019 em 15:42 - Responder

    Nossa! Que lugar hiper mega criativo, adorei os desenhos nos prédios. Deve ser super interessante conhecer, adorei o post, bem explicativo.

  11. Carla Mota 30 Janeiro, 2019 em 21:22 - Responder

    Também fiz o roteiro de banda desenhada quando fui a Bruxelas. Acredito que com crianças seja ainda mais bonito e emocionante.

    • Ruthia 31 Janeiro, 2019 em 7:57 - Responder

      Sim, e aquele museu da banda desenhada é qualquer coisa de maravilhoso. Foi o que o meu pequeno explorador mais gostou em Bruxelas, conjuntamente com o Atomium e os waffles 🙂

  12. Marcela Marques 31 Janeiro, 2019 em 14:29 - Responder

    Adorei esse roteiro! Conheci muito pouco da banda desenhada em Bruxelas, apenas entrei em algumas lojas e me deliciei com as artes nas ruas.

    • Ruthia 31 Janeiro, 2019 em 14:36 - Responder

      Não é um roteiro que agrade a todos. Mas para quem gosta de banda desenhada, é um passeio imperdível.

  13. Paula Teixeira Gonçalves 12 Fevereiro, 2019 em 20:06 - Responder

    Existem aqui eventos de comics con e afins que sao do melhor. Um Dia Era bom fazermos um video para captarmos o Momento;)

Deixe o seu comentário