Bruxelas: roteiro inspirado na Banda Desenhada

A arte dos quadradinhos é levada muito a sério em Bruxelas, onde nasceram vários heróis da BD belga. Numa visita recente, percebemos porque esta é a inquestionável “capital da banda desenhada”

Explorávamos nos arredores da Grand Place, quando nos deparamos com uma larga avenida em obras. Os painéis de protecção não eram enfadonhos e cinzentos. Pelo contrário, estavam alegremente coloridos com tiradas do Spirou e do Spip, o seu amigo esquilo.

Esta foi a primeira pista de um percurso recheado de grandes murais inspirados nas histórias aos quadradinhos. A nona arte é tão importante que o turismo local criou uma interessante Comic Route. As descobertas multiplicam-se ao ritmo da nossa caminhada, do temerário Tintin ao preguiçoso Gaston Lagaffe.

Afinal de contas a capital belga foi o ponto de partida das suas aventuras, talvez por ser a terra natal de autores como Hergé, André Franquin (o criador de Gaston Lagaffe e Marsupilami) e Morris (o inventor do Lucky Luke).

 

 

Na verdade, há mais de 700 autores de banda desenha na Bélgica, o que ajuda a explicar porque esta se elevou de uma criação popular para uma forma de arte, fortemente enraizada na vida e imaginação dos belgas.

É possível conhecer a casa onde nasceu Hergé, nos arredores de Bruxelas (Rue Philippe Baucq, nº 33, Etterbeek). Em Lovain-la-Neuve, cidadezinha a cerca de 32 km da capital, encontrará mesmo um museu exclusivamente dedicado ao pai de Tintin e Milou.

Mas voltando à residência de Hergé, acrescente-se que perto dali existe ainda uma série de livrarias especializadas como La Bande des Six Nez, BDMania e Atomic Comics, capaz de fazerem os fãs darem saltos de contentamento. Esta viagem inspirada na banda desenhada tem paragens engraçadas perto da Basílica de Koekelberg (Sainctelette square), onde ficou eternizado o agente 15 das histórias do Tintin, e na Rue de Sables, onde mora um gigante Gaston com o seu gato (não chegamos a visitar, mas fica a dica para os verdadeiros aficionados).

 

 

A catedral da banda desenhada

Nesta mesma rua com nome de areia fica a “catedral da BD”, num lindo edifício datado do início do século XX. Projectado pelo arquitecto e precursor da art noveux belga Victor Horta, o edifício começou por ser um armazém de têxteis, antes de se transformar no Centro Belga de Banda Desenhada.

Ali, começamos por reflectir sobre como o desenho foi usado para exprimir as emoções humanas e contar histórias. Destaca-se, por exemplo, o papel dos monges copistas que embelezavam as páginas com belas iluminuras, criando assim a “gramática da BD”, ou dos caricaturistas que usavam o desenho como arma satírica. Há ainda a secção dedicada ao próprio edifício e ao seu autor, antes de nos lançarmos nos recantos mais específicos, com pranchas e edições originais de artistas belgas.

Vários estilos encontram ali expressão, mas os leigos (como eu) procuram heróis das histórias aos quadradinhos como Tintin, Spirou, Bob e Bobette, Lucky Luke, Blake e Mortimer, Marsupilami… Os Smurfs têm um destaque especial, graças ao grande painel com uma centena de homenzinhos azuis, todos eles diferentes, que posam connosco para a foto.

 

 

Depois há ainda espaço para exposições temporárias. Aquando da nossa visita, chamou-me particularmente a atenção, “Héröines au bout du crayon”, uma mostra acerca das mulheres cartoonistas.

Vocês são fãs de banda desenhada? Qual é a vossa personagem favorita?

Centro Belga de Banda Desenhada aqui | Aberto todos os dias das 10h às 18h | Bilhetes: 10€ (adulto), 8€ (seniores), 7€ (12-25 anos), grátis (menores de 12 anos)

 

 

 

2019-04-14T19:43:07+00:00

22 Comments

  1. Rui Barbosa Batista 27 Janeiro, 2019 em 9:47 - Responder

    Estive uma única vez em Bruxelas e, confesso, não achei grande piada. A praça central bonita, o Atomo fechado. Agora, pelo que já te li, vale bem a visita. O melhor mesmo? Esta versão BD… confesso que fiquei encantado com as fotos. E que deu vontade de ir explorar esta nova forma de ver as cidades…

    • Ruthia 27 Janeiro, 2019 em 18:42 - Responder

      Mais uma viagem para fazeres com o teu sobrinho. Beijinho

  2. Angela C S Anna 28 Janeiro, 2019 em 12:34 - Responder

    Eita não sabia dessa do marsupilami! Era um dos meus desenhos favoritos quando criança! Tintin li alguns livros apenas, acho que não gostava da dublagem e preferia os livros. Gostaria de visitar Bruxelas um dia

  3. Tharsila Fernanda Santos Costa 28 Janeiro, 2019 em 13:26 - Responder

    Já ouvi falar bastante desse lance Belga de histórias e quadrinhos e do humor polêmico deles. hehehehe procede? Era viciada em TinTin! Ia amar a lojinha.

    • Ruthia 28 Janeiro, 2019 em 14:02 - Responder

      O meu filho é fã do Astérix, mas com a viagem a Bruxelas começou a explorar o mundo do Tintin. Mais uma coleção para comprar, haha

  4. Bruna 28 Janeiro, 2019 em 16:11 - Responder

    Adorei essa Comic Route, Ruthia! Acho lindo quando a cidade consegue explorar os talentos de seus filhos para espalhar arte e atrair olhares.

  5. Maria Cristina 29 Janeiro, 2019 em 0:43 - Responder

    Sou muito fã! Já havia lido alguma coisa mas não com a riqueza de detalhes que contou!! Agora só me resta ir a Bruxelas para explorar cada cantinho.Obrigada por compartilhar!😍

    • Ruthia 31 Janeiro, 2019 em 13:58 - Responder

      Fico feliz por inspirar a sua próxima visita à capital belga

  6. Gabriela Torrezani 29 Janeiro, 2019 em 14:07 - Responder

    Caramba, que maravilhoso! Eu adoraria fazer essa rota e apreciar os personagens de quadrinhos que nasceram em Bruxelas… muito legal esse post, uma perspectiva bem diferente da cidade.

  7. Eloah Cristina 30 Janeiro, 2019 em 9:39 - Responder

    Adoro inspirações artísticas em minhas viagens! Este tipo de intervenção dá um toque colorido e charmoso para as cidades.

    • Ruthia 30 Janeiro, 2019 em 13:08 - Responder

      Concordo. A maioria das grandes cidades é muito cinzenta e barulhenta, por causa do trânsito e da poluição. Arte faz-lhes um bem danado!

  8. Amanda 30 Janeiro, 2019 em 13:57 - Responder

    Nossa, que legal! Estive em Bruxelas, mas não fazia a menor ideia desse roteiro. Deve ser uma visita e tanto, dá uma nova perspectiva da cidade!

  9. Adriana Lara 30 Janeiro, 2019 em 14:58 - Responder

    eu novamente aqui… hoje com poucas palavras… bjs

  10. Adriana Magalhães Alves de Melo 30 Janeiro, 2019 em 15:42 - Responder

    Nossa! Que lugar hiper mega criativo, adorei os desenhos nos prédios. Deve ser super interessante conhecer, adorei o post, bem explicativo.

  11. Carla Mota 30 Janeiro, 2019 em 21:22 - Responder

    Também fiz o roteiro de banda desenhada quando fui a Bruxelas. Acredito que com crianças seja ainda mais bonito e emocionante.

    • Ruthia 31 Janeiro, 2019 em 7:57 - Responder

      Sim, e aquele museu da banda desenhada é qualquer coisa de maravilhoso. Foi o que o meu pequeno explorador mais gostou em Bruxelas, conjuntamente com o Atomium e os waffles 🙂

  12. Marcela Marques 31 Janeiro, 2019 em 14:29 - Responder

    Adorei esse roteiro! Conheci muito pouco da banda desenhada em Bruxelas, apenas entrei em algumas lojas e me deliciei com as artes nas ruas.

    • Ruthia 31 Janeiro, 2019 em 14:36 - Responder

      Não é um roteiro que agrade a todos. Mas para quem gosta de banda desenhada, é um passeio imperdível.

  13. Paula Teixeira Gonçalves 12 Fevereiro, 2019 em 20:06 - Responder

    Existem aqui eventos de comics con e afins que sao do melhor. Um Dia Era bom fazermos um video para captarmos o Momento;)

  14. ROBERTA KELLY NOGUEIRA 22 Março, 2019 em 3:21 - Responder

    Sou louca pra conhecer Bruxelas pela fama dos carrinhos de batata frita. Mas agora que sei dos quadrinhos (que eu amo, aliás!) ainda tenho mais vontade de conhecer! Vou me esbaldar lá!

    • Ruthia 22 Março, 2019 em 7:28 - Responder

      Mas olha que as batatas fritas e os waffles também são bons argumentos, haha

  15. Mariazita 27 Março, 2019 em 9:00 - Responder

    Nunca estive em Bruxelas, e tenho muita pena 😩
    Já várias vezes esteve planeado irmos lá, mas nunca calhou. E agora que os meus filhos (meus actuais companheiros dos passeios…) já lá foram, torna-se um pouco mais difícil ir…
    Este ano tenho planeado (e reservado) ir a Porto Santo em finais de Julho e ao Príncipe (S.Tomé) em Agosto. Esperemos que a saúde me não falte 😉

    RE: Não sei se a Nanda irá aparecer no próximo dia 1… Ela confidenciou-me que está a precisar duma pausa para refrescar as ideias… Coitada, são muitas preocupações… Vamos aguardar. Se ela não aparecer há-de mandar alguém (ou alguma coisa…) em seu lugar, é claro!!!

    Continuação de boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Deixe o seu comentário