Lisboa, cidade a ponto-luz bordada

São Jorge  protege o castelo dos dragões que surgem no horizonte, rasgando as águas do Tejo. Já adivinharam onde estamos? Bem-vindos ao Castelo de S. Jorge, um dos monumentos mais visitados da capital portuguesa

No castelo, ponho um cotovelo / Em Alfama, descanso o olhar / E assim desfaço o novelo / De azul e mar

Para alcançar a fortaleza dos mouros conquistada por D. Afonso Henriques graças ao sacrifício do Martim Moniz**, subimos a colina no eléctrico 28. Esse amarelo ícone lisboeta circula desde 1914 e faz as delícias dos fotógrafos. Com certeza, Lisboa perderia um pouco da sua alma sem o constante tilintar das suas campainhas.

Apeados, ali pelo miradouro de Santa Luzia, vencemos as ruelas sinuosas de Alfama a uma hora matutina, antes das hordas de turistas tomarem de assalto o castelo. O primeiro rei de Portugal dá-nos as boas vindas e, logo ali, nos sentimos em casa. A estátua é igualzinha à que temos quase à porta, em Guimarães.

À ribeira encosto a cabeça / Almofada da cama do Tejo / Com lençóis bordados à pressa /Na cambraia de um beijo

Lisboa menina e moça, menina / Da luz que meus olhos vêem tão pura / Teus seios são as colinas, varina / Pregão que me traz à porta, ternura

 

 

A cidade espraia-se perante os nossos olhos, uma paisagem de azul e mar cortada pela nossa versão da Golden Gate, a ponte vermelha que une as duas margens sob a bênção do Cristo Redentor. Mas a fortaleza espera-nos…

Ocupada desde a época dos visigodos, com vestígios de fenícios, gregos, cartagineses e romanos, foram os árabes (por volta do ano 711 d.C.) que deram o aspecto moçárabe à colina. Junto ao jardim romântico fica a exposição permanente, onde muitos vestígios arqueológicos testemunham este rico passado.

Quando o rei D. Afonso conduziu o cerco à cidadela (1147), durante as sangrentas cruzadas, o espaço acabou convertido em paço real e, desde então, já passou por várias alterações. É que o Castelo de S. Jorge fica numa posição estratégica, numa das sete colinas de Lisboa, não a mais alta mas a que oferece uma visão perfeita sobre o rio.

Cidade a ponto-luz bordada / Toalha à beira-mar estendida / Lisboa menina e moça, amada /Cidade mulher da minha vida

No Terreiro eu passo por ti / Mas da Graça eu vejo-te nua / Quando um pombo te olha, sorri / És mulher da rua

 

 

Fechados na câmara obscura de uma das torres, a cidade alfacinha desvenda-se numa panorâmica de quase 360º. Trata-se da Torre do Tombo ou de Ulisses, onde se guardou, durante alguns séculos, o tesouro real e os documentos mais importantes do reino. Daí ser chamada de Torre do Tombo, nome do maior e mais importante arquivo de Portugal.

Através de uma engenhoca óptica com lentes e espelhos, que reflecte a imagem num “prato” gigante, é possível ver quase toda a cidade e ouvir um pouco da história das zonas mais emblemáticas, em inglês ou espanhol.

Existe apenas mais uma câmara obscura em Portugal, na pequena vila algarvia de Tavira. Lembram-se desse post? Recordem-no aqui.

Descer até o Terreiro do Paço

Do castelo ao Terreiro do Paço é um saltinho, porque a descer todos os santos ajudam. É ao som do marulhar do Tejo que explico ao Pedro quem foi o Marquês de Pombal e porque foi tão importante para Lisboa.

E no bairro mais alto do sonho / Ponho o fado que soube inventar / Aguardente de vida e medronho /Que me faz cantar

Lisboa menina e moça, menina / Da luz que meus olhos vêem tão pura / Teus seios são as colinas, varina / Pregão que me traz à porta, ternura

 

 

Destruída quase na totalidade pelo terramoto de 1755, a cidade foi alvo de uma grande reconstrução conduzida pelo primeiro-Ministro que também era marquês. A arquitectura pombalina, tão bem representada nesta praça,  é caracterizada por avenidas largas em traçado octogonal, e por prédios baixos e extensos.

Depois de um salto ao Museu da Cerveja para conhecer, finalmente, os pastéis de bacalhau com recheio de queijo da Serra, escolhemos uma das vias que partem do Terreiro do Paço. Sim, atravessámos o belo Arco e seguimos pela comercial Rua Augusta, onde se filmou parte de “As Viagens de Gulliver” (1996).

Bem pertinho dali, ficam sítios fantásticos como o Teatro Nacional D. Maria II ou o Elevador de Santa Justa que arranca um “uau” ao Pedro mas, para sua grande decepção, tem uma fila enorme em frente à bilheteira. Mas ainda há tempo para partilhar um café e trocar uma prosa com o Fernando Pessoa na esplanada da Brasileira.

E ainda temos muito para contar sobre Lisboa. Fiquem por aí!

Cidade a ponto-luz bordada / Toalha à beira-mar estendida / Lisboa menina e moça, amada / Cidade mulher da minha vida

Lisboa no meu amor, deitada / Cidade por minhas mãos despida / Lisboa menina e moça, amada / Cidade mulher da minha vida

 

 

A Andreia e o Rui, do blog Travel Lover Blog, compilaram um guia completo sobre Lisboa, com roteiro, que vale mesmo a pena espreitar: Guia & Roteiro Completo de Lisboa

** Uma das portas do castelo é conhecida como Porta do Moniz porque, diz a lenda, este nobre cavaleiro do rei D. Afonso Henriques perdeu ali a vida para que a porta não se fechasse, permitindo que os cristãos entrassem e conquistassem Lisboa, em 1147.

Site do Castelo de S. Jorge: aqui | Entrada: € 7,50 / Crianças até 10 anos não pagam e os lisboetas também não

Planeie a sua próxima viagem

Faça as suas reservas através dos links parceiros. Não paga nem mais um cêntimo e para mim faz toda a diferença

  • Encontre os melhores hotéis no  Booking. É onde eu faço as minhas reservas
  • Se precisa de transporte próprio, alugue um carro com a Rentalcars 
  • Reserve os seus bilhetes para monumentos e tours, evitando filas, usando o Get your Guide 
  • Faça um seguro de viagem com a IATI (beneficia de 5% de desconto com este link).

Este post pode conter links de afiliados

2019-07-16T12:57:18+00:00

44 Comments

  1. Toninho 12 Maio, 2016 em 13:12 - Responder

    Olá Ruthia, uma bela postagem sobre este monumento e lindo histórico espaço.
    Já tinha lido e visto algumas imagens.
    Suas inserções poéticas de Lisboa menina e moça ficaram lindas.
    Preço razoável.

    Meu abraço e grato pela partilha.
    Um bom fim de semana.Bju
    O pequeno descobridor estava junto?

    • Ruthia 12 Maio, 2016 em 17:56 - Responder

      Sim. É ele no meio do Terreiro do Paço com camisola azul 🙂

  2. Adriana Balreira 12 Maio, 2016 em 16:32 - Responder

    Adoro vim aqui no seu blog e passear com vc nos lugares onde vc visita. Nunca fui a Portugal, e me delicio com suas imagens.
    Beijos
    Adriana

    • Ruthia 12 Maio, 2016 em 18:00 - Responder

      Quando passo algum tempo sem viajar, também viajo através das aventuras dos amigos virtuais. Quem sabe um dia ainda conhece Portugal

  3. Mariazita 12 Maio, 2016 em 17:11 - Responder

    Querida Ruthia
    Gostei desta reportagem sobre a linda capital do nosso querido Portugal.
    Lisboa é uma cidade lindíssima, com uma cor e uma luz únicas no mundo!
    E do Castelo de S. Jorge pode apreciar-se em (quase) toda a sua beleza.
    Fico à espera do resto…
    O vídeo é espectacular. Tenho-o entre os meus Favoritos do Youtube.

    Continuação de boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    • Ruthia 12 Maio, 2016 em 17:57 - Responder

      É verdade, os pintores e os fotógrafos adoram a luz de Lisboa. Beijinho cara Mariazita

  4. C. 12 Maio, 2016 em 17:36 - Responder

    Hoje é o dia de quem está onde tantas vezes não está mais ninguém! Hoje é o nosso dia: Feliz Dia Internacional dos Enfermeiros

    • Ruthia 12 Maio, 2016 em 17:59 - Responder

      Olá C. Seja bem vinda aO Berço e parabéns pelo seu dia. Espero que se sinta bem por aqui

  5. Elvira Carvalho 12 Maio, 2016 em 20:23 - Responder

    Há anos que ando para visitar o Castelo de S. Jorge. Acredita que durante 4 anos vivi em Lisboa e nunca lá fui?
    E no entanto conheço uma série de Castelos pelo país.
    Um abraço

    • Ruthia 12 Maio, 2016 em 22:44 - Responder

      Acredito pois. É o que se chama "casa de ferreiro com espeto de pau!, haha.
      Mas só a vista já faz valer a pena a visita.
      Beijinho

  6. Mariazita 13 Maio, 2016 em 10:30 - Responder

    Querida Ruthia
    Como se trata de ficção… vamos imaginar que sim! 🙂 A minha amiga engravidou!!!
    Beijinhos
    Mariazita

  7. UMA SENHORA VIAGEM 13 Maio, 2016 em 17:19 - Responder

    Ruthia, realmente você devia reunir seus posts em um livro,aliás,teríamos vários livros. Mesmo quem não conhece o Castelo de São Jorge é capaz de se teletransportar e passear com você através de suas palavras. Eu que já tive o prazer de estar por aí matei as saudades. Lindo post

    • Ruthia 13 Maio, 2016 em 17:32 - Responder

      Muito obrigada, querida Lilian. Você é muito amável. Um dia esse livro ainda sai, hihi.
      Um abraço

  8. EMRC 13 Maio, 2016 em 17:34 - Responder

    Muito lindo! Quero visitar um dia, em breve, espero!

  9. Maria Teresa Valente 13 Maio, 2016 em 19:49 - Responder

    Viajo com você, Ruthia, através de seus relatos tão ricos em detalhes.
    Conhecer Portugal, com você, me dá muita satisfação, obrigada!
    Excelente3 final de semana, abraços carinhosos
    Maria Teresa

  10. Zilani Célia 13 Maio, 2016 em 21:18 - Responder

    OI RUTHIA!
    ME FIZESTE FAZER UMA VIAGEM LINDA ATRAVÉS DE TEUS RELATOS, QUE ALIÁS SÃO ÓTIMOS E AS FOTOS OS VÃO ABRILHANTANDO, TORNANDO-OS INTERESSANTÍSSIMOS.
    AMIGA, TE AGRADEÇO PELAS DELICADAS PALAVRAS LÁ NO "SÓ PRA DIZER".
    ABRÇS

  11. Anónimo 13 Maio, 2016 em 21:39 - Responder

    Olá Ruthia. Maravilhoso este seu post. Admiro muito quem, sendo de longe, consegue interiorizar na perfeição a magia de Lisboa. Parabéns e obrigado.
    Abraço do Carlos da Gama
    memoriadamicha2011-blogspot.com

    • Ruthia 15 Maio, 2016 em 8:21 - Responder

      Grata pela sua presença e amável comentário. Acho que qualquer português é capaz de "sentir" a alma de Lisboa, basta prestar atenção. A cidade é maravilhosa.
      Abraço, espero retribuir a sua visita em breve

  12. Lúcia 13 Maio, 2016 em 23:36 - Responder

    Já estive poe três ocasiões em Lisboa. Numa delas, num 13 de junho, subi até ao Castelo de São Jorge e saboreei sardinhas na brasa. Postagem maravilhosa que me trouxe gratas lembranças! Obrigada, Ruthia…beijo!

    • Ruthia 15 Maio, 2016 em 8:21 - Responder

      Então esteve por altura das festas de Santo António, que é uma época fantástica para visitar a capital. Sardinhas, broa e pimentos. Maravilha…..

  13. Sara com Cafe 14 Maio, 2016 em 9:18 - Responder

    museu da cerveja. por favor. por favor. por favor!

    • Ruthia 15 Maio, 2016 em 8:23 - Responder

      Olá Sara, seja bem vinda ao meu cantinho. Infelizmente, não tenho muito a dizer sobre o Museu da Cerveja. A minha visita foi muito rápida, e apenas para provar os tais pasteis de bacalhau, dos quais ouvi falar muitíssimo. São bons, mas prefiro os bons pasteis tradicionais.
      Já veio a Portugal?
      Abraço

  14. Ana Christ 14 Maio, 2016 em 22:00 - Responder

    Ruthia, acabei de escrever um comentário, mas acho que não foi.
    Repito aqui então: as lembranças que guardo das duas estátuas de Dom Afonso Henriques passa, em boa parte, pelo quanto aprendi com você e Pedrinho. Vocês estão entre as nossas melhores lembranças de Portugal! 🙂
    Um beijinho,
    Ana Christ do Nativos do Mundo

    • Ruthia 15 Maio, 2016 em 8:25 - Responder

      Muito obrigada pelo carinho, Ana. Fico tão feliz por saber que contribuímos para que a sua passagem por Portugal tenha sido inesquecível!!! Esperamos revê-los em breve.
      Beijinho do tamanho do oceano

  15. Isa Sá 16 Maio, 2016 em 7:43 - Responder

    Portugal tem tanto para conhecer…

  16. M. 17 Maio, 2016 em 19:57 - Responder

    Que belo passeio, sobretudo agora com bom tempo! E, finalmente, um destino por onde já andei 🙂
    Beijinhos, boa semana!

    • Berço do Mundo 20 Maio, 2016 em 11:05 - Responder

      Finalmente o bom tempo, Madalena. Já não era sem tempo. Por momentos, pensei que o sol não viria este ano 😉

  17. Calu B. 18 Maio, 2016 em 15:47 - Responder

    Menina Ruthia,
    fui uma das animadas turistas a percorrer a Fortaleza de São Jorge, tirar fotos aos montes, descer a Alfama e me deliciar com os pastéis na Baixa. Ô saudades grandes dessa Lisboa tão familiar e bela!
    Bjos ao Pedrinho e a ti.
    Calu

    • Berço do Mundo 20 Maio, 2016 em 11:06 - Responder

      Dois adjectivos muito apropriados para descrever Lisboa: familiar e bela!
      Well said.
      Beijinho, querida Calu

  18. Sissym Mascarenhas 22 Maio, 2016 em 2:44 - Responder

    Ruthia,

    Que fantastico, não sabia deste castelo, fiquei curiosa e procurei mais imagens dele na internet. Portugal é 100% cultura. Estou adorando conhecer um pouco mais atraves de seus relatos.

    Bjs

  19. Adriana LARA 6 Junho, 2016 em 20:13 - Responder

    mas nesta próxima ida vou ao castelo… coisa que faltou na viagem passada.. assim como quero trocar um dedinho de prosa com Fernando Pessoa!! bjs

  20. Paloma Dias 9 Março, 2017 em 10:58 - Responder

    Que roteiro gostoso! A arquitetura e realmente linda. Passeio que quero fazer.

  21. Orientando-se pelo Mundo 9 Março, 2017 em 13:30 - Responder

    Que delícia ler esse post!
    Que lugar fantástico e seu relato virou um belo poema, lindas palavras e observações!

    Abcs,
    Pri Fujihara – Orientando-se pelo Mundo

  22. Ana Clara Flores 9 Março, 2017 em 14:28 - Responder

    Nao conheco ainda o castelo de são jorge, mas adoraria ir! Próxima passagem por lá, irei me planejar melhor!

  23. Francisco Piazenski 9 Março, 2017 em 16:06 - Responder

    Lindo post, Ruthia, desvendando com maestria as belezas e mistérios do Castelo de São Jorge e Lisboa. Adoro sua linha elegante de escrever. Parabéns!

  24. Bornfreee Viagens 9 Março, 2017 em 18:30 - Responder

    Uma bela homenagem a um dos pontos mais icónicos da bela Lisboa, uma cidade com uma luz e carisma muito especiais 🙂 Parabéns pelo post!

  25. TurMundial 10 Março, 2017 em 10:07 - Responder

    Como tenho vontade de ir para Portugal um dos poucos paises da Europa que ainda não conheço, ótimos dicas.

  26. Alessandra Lima 10 Março, 2017 em 15:17 - Responder

    Muito bom seu post. Portugal deve ser maravilhoso.

  27. dih 11 Março, 2017 em 22:52 - Responder

    Cada vez que passo por aqui descubro um pouco mais de Portugal e sinto mais vontade de conhecer esse país. Obrigado por compartilhar!

  28. Viagem da Vez 12 Março, 2017 em 16:42 - Responder

    Que lindo!! Morro de vontade de conhecer Portugal. Muito bom poder viajar um pouco com o seu post 😀

  29. Naná Coutinho 12 Março, 2017 em 23:15 - Responder

    Que delícia foi viajar com você nesse post! Viajo para Portugal em Junho e amei ler o seu relato.

    • Berço do Mundo 13 Março, 2017 em 12:39 - Responder

      Se tiver alguma dúvida ou precisar de alguma dica para preparar o roteiro, diga.
      Abraço

  30. Gisele 13 Março, 2017 em 15:17 - Responder

    Que lugar lindo! Devo ir a Lisboa esse ano, vou incluir no meu roteiro!

  31. […] inspirar ainda mais sua visita, indico esse post sobre o Castelo de São Jorge, escrito com tanta poesia e muitos detalhes históricos pela querida Ruthia, que acompanho há […]

Deixe o seu comentário