Tomar e a linda Festa dos Tabuleiros

Tomar, antiga sede dos Templários, é muito mais do que o Convento de Cristo. Fomos explorar a cidade banhada pelo Nabão durante um evento muito especial: a Festa dos Tabuleiros

Ao sinal, os tabuleiros são colocados no topo das cabeças. O desfile parte da Mata dos Sete Montes rumo ao centro histórico, percorrendo as ruas apinhadas. Na Praça da República recebe a bênção religiosa, antes de continuar o percurso de 5 km.

As senhoras, vestidas de branco, carregam um tabuleiro que deve ter a sua altura, decorado com flores de papel, espigas de trigo, 30 pães e uma coroa rematada com a Cruz de Cristo, ou a pomba do Espírito Santo. Um homem – pai, irmão, marido, namorado – acompanha-a, gravata ao peito a condizer com as suas fitas, ajudando-a se for necessário. É que o tabuleiro pesa bastante (entre 18 a 23 kg).

Milhares de pessoas chegam à cidade atraídas pela festa, que se realiza apenas de 4 em 4 anos. Em 2019, o cortejo final, no domingo, recebeu cerca de 600 mil visitantes, incluindo o Presidente da República.

 

Festa dos Tabuleiros em Tomar

Cada freguesia apresenta uma cor diferente (nas fitas das senhoras e gravatas dos homens), o que traz ainda mais alegria à festa.

 

As raízes da Festa dos Tabuleiros perdem-se na memória dos tempos. Possivelmente teve origem nas práticas ancestrais de entrega das primeiras colheitas a Ceres, a deusa romana da agricultura e da fertilidade. Hoje todos associam as festas com o Espírito Santo. Mais do que um evento religioso, a Festa dos Tabuleiros é uma linda tradição portuguesa, que se pretende candidatar a património imaterial da UNESCO.

O centro histórico de Tomar

O coração do centro histórico bate na Praça da República, junto à estátua de Gualdim Pais. É ali, em frente ao grão-mestre dos Templários portugueses, fundador e povoador de Tomar, que deve começar a sua aventura.

Este é o centro da área medieval, organizada em cruz, orientada pelos pontos cardeais e com um Convento em cada ponta. A Oeste fica o famoso Convento de Cristo, sede da Ordem dos Templários, numa colina sobre a cidade. Este foi um dos primeiros locais portugueses a receber a distinção de Património da Humanidade, em 1983.

 

ruas de Tomar

 

A Sul fica o Convento de São Francisco, onde se pode visitar um curioso Museu dos Fósforos. A Norte fica o antigo Convento da Anunciada e a Este, nas margens do rio, o Convento de Santa Iria.

Abra-se um parêntesis para falar do Convento e da lenda de Santa Iria. A linda freira terá despertado amores inflamados, na época dos visigodos, e acabou degolada por causa disso. O corpo foi lançado ao rio, dali apanhou o curso do Zêzere, até entroncar no Tejo. Diz a lenda que Iria chegou a uma terra que recebeu o seu nome (Santarém), onde as águas do rio Tejo se abriram, para exibir o seu caixão.

Ainda hoje a 20 de Outubro, data do seu martírio, se deitam pétalas de rosa no local da sua morte, antes de se iniciar a procissão junto ao rio. Este rio, de seu nome Nabão, pode ser inclemente durante as cheias de Inverno. Mas no Verão é um charme, em particular no Parque do Mouchão, com a sua nora de madeira, que evoca os tempos prósperos de outrora.

 

Igreja de S. João Baptista

Na praça da República fica a Igreja Matriz, dedicada a S. João Baptista.

O bebé aplaude a mãe, que veio de Londres para participar na festa

 

Outros tesouros da região

A cidade de Tomar possui uma forte herança judaica, que vale a pena assinalar. Na Rua da Judiaria encontrará uma antiga Sinagoga do século XV. Depois de servir como sinagoga, escola, assembleia e tribunal da comunidade, o edifício acolhe hoje o Museu Luso-Hebraico de Abraão Zacuto (astrónomo e matemático quatrocentista).

A tranquilidade do interior contrasta com a azáfama das ruas, enfeitadas pelos moradores. A eleição da mais bela será renhida.

Nas redondezas há outros pontos para explorar, mas não deixe o centro histórico sem provar os doces locais. Falo das  tradicionais Fatias de Tomar, feitas com gemas de ovos batidas exaustivamente. São cozidas em banho-maria numa panela especial, inventada pelo Sr. Aurélio, um latoeiro do século passado. Devo alertar que são muito (quase demasiado) doces.

Pode queimar as calorias extra subindo até ao Castelo e respectiva Mata dos Sete Montes que, no seu todo, constituem um dos maiores conjuntos monumentais da Península Ibérica, no espaço (cerca de 45 hectares) e no tempo (sete séculos de construção).

Castelo de Bode, uma das maiores albufeiras do país, fica um pouco mais longe e convida a um mergulho. Pode também fotografar o Aqueduto dos Pegões e o cinematográfico Castelo de Almourol. Mas primeiro desfrute da linda Festa dos Tabuleiros: a próxima é em 2023.

 

sinagoga de Tomar

As 4 colunas da sinagoga simbolizam as quatro matriarcas: Sara, Rebeca, Leia e Raquel

 

Dicas úteis para a Festa dos Tabuleiros

Como chegar: Tomar fica fica no distrito de Santarém, a cerca de 200 km do Porto e 138 km de Lisboa. Do Porto, deve apanhar a auto-estrada A1 e depois a A13, em Coimbra, em direcção a Lousã/Tomar. Em alternativa, faça A1-A23-A13/IC3. De Lisboa deve tomar a A1 em direcção ao Norte, sair para a A23 e apanhar a saída para A13/IC3.

A cidade tem ligações directas de comboio desde Lisboa (consulte horários e preços no site da CP) e ligações de autocarro da Rede de Expressos  a partir de várias cidades. Ou pode optar por um Tour Templário dos Cavaleiros de Tomar e Almourol ou Passeio de dia inteiro a Tomar e Almourol (com passeio de barco), ambos com saída de Lisboa.

Onde estacionar: Tomar recebe milhares de visitantes no último dia da Festa dos Tabuleiros, por causa do desfile. Porque as ruas centrais são cortadas, a cidade prepara vários pontos de estacionamento. Pode consultar o seu estado em tempo real, através da aplicação Smarter Fest, disponível para o iOS e Android, na App Store e no Google Play. Esta app permite também perceber onde o cortejo está a passar, ao minuto.

 

ruas de Tomar

 

Onde ficar: o centro de Tomar não tem muitos hotéis disponíveis, já que a cidade é pequena. Uma opção segura será o Hotel dos Templários, um quatro estrelas com vista para o rio, ou o elegante Thomar Boutique Hotel. Para opções mais económicas existe o Hostel 2300 Thomar, no centro histórico.

O que comer: comida tradicional portuguesa, peixe de rio (lampreia e sável) e feijoada de caracóis!! Espreite a Casa das Ratas (Rua Dr. Joaquim Jacinto, nº 6), que mantém o ambiente de taberna e serve vários petiscos: as iscas são famosas. A Taverna Antiqua (Praça da República, nº 23) oferece uma refeição à luz de velas num ambiente medieval. Prove também os doces regionais: Fatias de Tomar, “Beija-me Depressa” e queijadas.

A região possui vários vinhos premiados que poderá querer conhecer. É o caso do Casal das Freiras, Encosta do Sobral, Solar dos Loendros e Herdade dos Templários.

 

Festa dos Tabuleiros

 

Este post faz parte do 8on8, um projecto colectivo que une lindas viajantes em volta de um tema comum, no dia 8 de cada mês. Espreitem os restantes textos sob o tema “centros históricos”, inspirem-se e partilhem (por ordem alfabética):

Chicas Lokas – O charmoso Centro Histórico de Florianópolis
Destinos Por Onde Andei – Conexão em Bogotá, o que fazer?
Entre Polos – Centro Histórico de Olinda – Tour com Guia Local
Espiando pelo Mundo – Velhas cidades inesquecíveis pelo mundo
Let’s Fly Away – [8on8] Viagem para Dubai, desvendando seu centro histórico
Mapeando Mundo – [8on8]  Oito atrações para visitar no centro histórico de Praga
Travel Tips Brasil – O que fazer em Bergen – andando pelo centro histórico
Turistando.in – Um passeio pelo centro histórico de Gênova na Itália
Turista FullTime – Centro histórico de Manaus e as principais atrações

 

Planeie a sua próxima viagem

Faça as suas reservas através dos links parceiros. Não paga nem mais um cêntimo e para mim faz toda a diferença

  • Encontre os melhores hotéis no  Booking. É onde eu faço as minhas reservas
  • Se precisa de transporte próprio, alugue um carro com a Rentalcars 
  • Reserve os seus bilhetes para monumentos e tours, evitando filas, usando o Get your Guide 
  • Faça um seguro de viagem com a IATI (beneficia de 5% de desconto com este link).
  • Poupe em taxas bancárias, fazendo pagamentos seguros em qualquer parte do mundo com o cartão Revolut (usando este link não paga o envio do cartão)

Este post pode conter links de afiliados

2019-08-12T07:47:52+00:00

33 Comments

  1. Chica 8 Julho, 2019 em 18:37 - Responder

    Que b ela festa e tão boas dicas pra melhor conhecer! Gostei! Bjs E Tudo de bom,chica

  2. Zudi Dadalt 8 Julho, 2019 em 20:24 - Responder

    Fico aqui imaginando como é antiga a origem da festa. Do tempo que se entregava as primeiras colheitas a Ceres. É muito comum que costumes pagãos tenham sido transformados em costumes cristãos, pois o mais importante era que não se perdesse a tradição, não é mesmo? Torcendo para que a Festa dos Tabuleiros entre para a listas dos patrimônios culturais da UNESCO.

    • Ruthia 9 Julho, 2019 em 7:05 - Responder

      Portugal conseguiu que 2 sítios integrem a lista de património mundial este fim-de-semana: o Bom Jesus de Braga e o Convento e Tapada de Mafra. Significa mais atenção e preservação do património

  3. Carolina 9 Julho, 2019 em 9:10 - Responder

    Adorei! Que fotos lindas, que criancinha mais fofa!!! Obrigada pelas dicas, quero conhecer essa festa o quanto antes.

  4. Lulu Freitas 9 Julho, 2019 em 14:43 - Responder

    Que festa maravilhosa essa festa de tabuleiros de Tomar! A história toda da cidade é simplesmente fascinante, a começar pela da freira que sofreu martírio por despertar amores! Que delicadeza a procissão com pétalas de rosas. Fiquei aqui só imaginando. Me senti visitando com você esse lindo momento cultural.

    • Ruthia 9 Julho, 2019 em 17:17 - Responder

      Já tinha estado várias vezes em Tomar, mas nunca tinha tirado tempo para fotografar o centro histórico direito. Este fim-de-semana fui no sábado, para deambular pelas ruas enfeitadas e depois no domingo, para o desfile final. Adorei o ambiente da festa, os tomarenses ficam muito felizes por participarem no cortejo

  5. Filipe Morato Gomes 9 Julho, 2019 em 22:39 - Responder

    Nunca assisti à Festa os Tabuleiros, obrigado pela partilha… agora é “só” esperar mais quatro anos. 🙂

    • Ruthia 10 Julho, 2019 em 7:49 - Responder

      Passa num instante. Só é preciso alguma organização prévia, senão acontece-te como o Vassalo, que teve que ir pernoitar… a Lisboa.

  6. Vaneza Narciso 11 Julho, 2019 em 0:46 - Responder

    Gente, nunca ouvi falar desta festa e nem da cidade … e já fui em lisboa 2 vezes. Quanta tradição e alegria! Obrigada pela riqueza da descrição da festa de tomar.

    Abraços.

    • Ruthia 11 Julho, 2019 em 6:52 - Responder

      Todos os portugueses já ouviram falar, mas poucos já assistiram ao vivo. Eu também fui este ano pela primeira vez

  7. Fernanda Souza 11 Julho, 2019 em 1:31 - Responder

    É incrível como um país tão pequeno como Portugal pode ter tantas cidades lindas. Visitei Tomar muitos anos atrás e me apaixonei pela cidade. Adorei saber sobre essa Festa dos Tabuleiros em Tomar. O post está muito completo. Desconhecia a existência da festa, mas agora quero ver ao vivo. Quem sabe daqui 4 anos…

    • Ruthia 11 Julho, 2019 em 6:52 - Responder

      É um país pequeno e singular, com muitos tesouros escondidos. A Festa dos Tabuleiros é apenas mais um

  8. Gisele Prosdocimi 11 Julho, 2019 em 6:02 - Responder

    E eu que pensava que já havia visto de tudo nesta vida…
    Como assim, uma festa com mulheres carregando enormes ornamentos coloridos, nunca imaginaria, juro, rsrs.
    Fiquei perplexa, curiosa e louca para participar de um evento tão importante e lindo desses, pena que não aconterá quando estarei em Portugal, agora em julho e agosto/19.
    Fica nos sonhos e na lista de desejos viajeiros.
    Grande beijo!

    • Ruthia 11 Julho, 2019 em 6:55 - Responder

      Há tradições muito curiosas. Cada elemento do “tabuleiro” tem um significado. Por exemplo, os 30 pães simbolizam as chagas de Cristo. Não deve ser fácil carregar aquilo 5 km, até porque há paragens constantes

  9. Paula 11 Julho, 2019 em 9:12 - Responder

    Que bonita e animada festa! Fiquei bem impressionada com os tabuleiros e com o peso, e como as pessoas apesar do peso carregado estão sorridentes!

  10. Cynara Vianna 11 Julho, 2019 em 14:44 - Responder

    Como Portugal tem uma cultura e tradições ricas não é? Fico encantada com o que vou conhecendo sobre o país. Temos muito o que ver e aprender. Lindo demais.

  11. Luciana Rodrigues 11 Julho, 2019 em 19:15 - Responder

    Nunca havia escutado falar dessa festa e deve ser mesmo muito peculiar. Achei lindas as mulheres a carregar os cestos coloridos nas cabeças.

  12. Marcela Marques 12 Julho, 2019 em 2:52 - Responder

    Que linda a festa dos tabuleiros de Tomar! Vale muito uma viagem, né? Conhecer essa tradição de pertinho. Adorei

  13. Francisco Oliveira 12 Julho, 2019 em 8:25 - Responder

    É uma tradição de grande beleza estas festas de Tomar, aproveito para desejar um bom fim-de-semana.

  14. Regina Oki 12 Julho, 2019 em 23:04 - Responder

    Já fiquei empolgada em conhecer Tomar, independentemente da Festa dos Tabuleiros. Eu adoro esta mescla de diferentes culturas, religiões e estilos, tão presente em Portugal! e, quando leio a palavra “Castelo” em dado destino, aí sim é que fico doida pra visitar!
    Belo post. Parabéns!

    • Ruthia 13 Julho, 2019 em 8:08 - Responder

      Tomar merece uma visita sim, em qualquer altura. Durante as festas, apesar das ruas estarem mais bonitas, também há muita confusão. Não se consegue desfrutar tão bem a visita.

  15. ana paula 13 Julho, 2019 em 17:40 - Responder

    Estou encantada com a cidade de Tomar, suas fotos e relatos ficaram incríveis! E essa festa dos Tabuleiros..muito linda!

  16. Denise Barreto 14 Julho, 2019 em 23:42 - Responder

    Incrível a história de Tomar! Realmente a festa dos Tabuleiros parece ser linda. Muita vontade de conhecer! gostei de conhecer aspectos culturais como a lenda de Santa Iria. Lindo post!

  17. Christian Wilson Roel Gutierrez 15 Julho, 2019 em 12:42 - Responder

    Linda história, viajer é conhecer historias, culturas e muito mais né? Essa festa de tabuleiros deve ser incrível de conhecer adorei, quem sabe um dia vou nela.

  18. Mariana Menezes 16 Julho, 2019 em 17:39 - Responder

    Oi Ruthia, que relato cheio de histórias interessantes. Fiquei muito curiosa para provar as Fatias de Tomar, pois adoro doces portugueses. Tenho certeza que deve ser delicioso! A festa dos tabuleiros é muito bonita esteticamente, gostei muito das fotos. Gostaria de ter a oportunidade de participar um dia e apreciar a cultura local.

    • Ruthia 16 Julho, 2019 em 19:17 - Responder

      É verdade, é muito vistosa e rende lindas fotos, muito coloridas. Foi a primeira vez que assisti ao vivo e fiquei encantada

  19. Tharsila Costa 19 Julho, 2019 em 3:04 - Responder

    Que incrível essas cidade e essa festa. Realmente o pessoal da cidade se envolve bastante com o festival né?? Querendo ir muito a Portugal. Quem sabe eu não planejo essa ida para 2023 para aproveitar a próxima festa. 🙂

  20. […] O Berço do Mundo – Tomar e a linda Festa dos Tabuleiros […]

  21. Analuiza Carvalho 19 Julho, 2019 em 14:29 - Responder

    Este Portugal vive a mexer com meu coração, o enchendo de vontade de voltar! Embora guarde profundas e significativas diferenças, a Festa dos Tabuleiros lembrou-me, à medida que fui desenrolando o texto, da Lavagem do Bonfim aqui em Salvador. Como são ricas estas nossas festas populares! Faz bem a cidade de Tomar em candidatar a festa a património imaterial da UNESCO. Não sei se um dia conseguirei estar ai para a próxima, daqui a 4 anos, mas quem sabe em próxima visita a Portugal, não consiga visitar Tomar e seu bonito centro histórico?! 🙂 bjokas

  22. Juliana Moreti 21 Julho, 2019 em 19:06 - Responder

    Essa festa do Tabuleiro me fez recordar uma festa medieval de Gubbio chamada “Corsa dei Ceri”, algo como a corrida dos candelabros. Dizem que sua origem é católica, mas há quem afirma que é pagã e que remonta das épocas pré-cristãs. Ao invés das mulheres, são os homens que carregam um tipo de candelabro imenso que pesa mais de 300 kilos e devem chegar até a parte mais alta da cidade.
    Curiosa essa organização do centro histórico de Tomar…. Para mim, a desorganização das nossas ruas é uma herança portuguesa. Rsrsrsrs
    E uma das coisas que mais adoro em teu post são as dicas gastronômicas… Feijoada de caracóis…. Será que isso é bom?
    ps: não sabia que vocês diziam “Este” (para nós é Leste)

    • Ruthia 22 Julho, 2019 em 7:18 - Responder

      Nunca ouvi falar dessa festa medieval com candelabros. Deve ser bem interessante.
      Quanto à (des)organização das cidades portuguesas, há de tudo. As cidades mais antigas não tinham qualquer planeamento, claro. Afinal urbanismo é uma “arte” recente. Mas há excepções notáveis

  23. […] O Berço do Mundo – Tomar e a linda Festa dos Tabuleiros […]

  24. chica 9 Outubro, 2019 em 8:43 - Responder

    Bom dia! Vim avisar que acabam de entrar por lá céus teus. Obrigadão! beijos, chica
    Podes ver aqui:

    http://ceuepalavras.blogspot.com/2019/10/ceus-da-ruthia-e-cris.html

Deixe o seu comentário