Amigos nómadas 2: o apelo do Oriente

Uma jornada é melhor medida em amigos do que através de milhas. Que o diga o Bruno Antunes, um nómada “to be”, em fase de enamoramento pelo mundo ou, mais concretamente, pela região asiática.

A banda desenhada poderá ter despoletado esta obsessão pelo Oriente, uma vez que o nosso convidado se expressa melhor pelo desenho do que pelas palavras. Depois, a tia matriculou-o num curso livre de chinês. E o Bruno foi mordido pelo bichinho da vagabundagem e o Japão foi suplantado pela China, no seu imaginário.

Pouco depois estava a participar no “Chinese Bridge”, um concurso que avalia não só o nível de proficiência em chinês, mas também os conhecimentos acerca daquela cultura milenar. O segundo lugar que conquistou, a nível nacional, levou-o até ao Império do Meio em Outubro passado. Uma viagem de duas semanas que o marcou para a vida.

Passear na muralha da China, visitar Pequim durante três dias apesar da poluição e experimentar mil e uma misturas de chá deve ter sido fantástico (e olhem que consome litros de chá diariamente), mas nada se compara à experiência de contactar com estudantes de 64 países diferentes, para além de dezenas de jovens voluntários locais.

 

Espectáculo final do Chinese Bridge

O concurso Chinese Bridge foi uma valiosa experiência multicultural

China, um encontro cultural

A hospitalidade da família que o acolheu foi igualmente enternecedora. Pertencente à minoria étnica tai – as viagens são fatais para os preconceitos, afinal os chineses não são todos iguais? – o casal desdobrou-se em atenções quando o viu resfriado.

Para além dos amigos que fez, das comidas estranhas que comeu e dos desafios que superou, o meu sobrinho (não vos contei? Pois, em tempos mudei-lhe a fralda…) ainda teve tempo para superar a timidez. Fez um discurso em chinês e uma performance artística, perante centenas de pessoas.

Respondeu às perguntas de cultura com a maior das facilidades. Entrou em inúmeros jogos de equipa e até cantou no espectáculo de encerramento, com direito a transmissão televisiva.

Pelo meio, ainda teve que engendrar com o colega de equipa um arranjo de flores, porque a cidade onde decorreu o “Chinese Bridge” mundial tem uma longa tradição nesta arte. Aliás Kunming, na província Yunan (a duas horas de voo de Pequim) é conhecida como a cidade da Primavera, devido ao seu clima ameno.

O Bruno Antunes voltou de lá mais sábio – não foi o Francis Bacon que afirmou que as viagens são uma forma de educar a juventude? – imensamente feliz e irremediavelmente apaixonado pela China. Eis o seu passaporte:

Bruno na China

Performance artística do Bruno: pintura em papel de arroz.

Nome: Bruno Alexandre Portelinha de Carvalho Antunes
Idade: 20 anos
Destino de sonho: China e Coreia do Sul
Na mala não pode faltar: Dicionário (ainda tenho muito para aprender), GPS e uns snacks de emergência, porque nem todos os petiscos que encontramos são comestíveis.

 

O que mais te surpreendeu na China?

Na China, surpreendeu-me negativamente a pouca importância que dão à higiene das ruas. Por exemplo, vi um menino que teria os seus 5 anos sair do hotel para fazer as suas necessidades na rua. Mas existe muito de positivo, nomeadamente a arquitectura. As estruturas modernas são muito arrojadas e misturam-se com templos e outros edifícios tradicionais. Para além disso, os chineses estão muito conscientes da sua cultura, que defendem.

 

 

Uma das provas do concurso deste ano era fazer um arranjo floral. Como correu?

Nunca tinha feito nada do género. Foi bastante engraçado porque nos deram dinheiro a fingir e tínhamos que negociar as flores com os vendedores, ao melhor preço. Como as negociações se faziam em chinês – o que implicou cantar serenatas, elogiar os vendedores… – e o meu colega Miguel tinha mais facilidade em termos de vocabulário, ficou incumbido de arranjar as flores e eu fiz o arranjo. Não ficou perfeito mas… bem… acho que ficou bonito… pelo menos eles gostaram.

Um balanço da viagem?

A China é um país espectacular que toda a gente devia visitar, pelo menos uma vez na vida. Para além disso, os chineses são muito hospitaleiros e acham piada aos estrangeiros. Muita gente pede para tirar fotografias connosco, outros simplesmente plantam-se em frente a nós e fotografam-nos com o telemóvel. Ouvi muitos comentários do género “és tão giro”, “és tão alto, tens umas pestanas tão longas”. Foi uma experiência realmente diferente.

Recordem outros amigos nómadas aqui e aqui

 

Planeie a sua próxima viagem

Faça as suas reservas através dos links parceiros. Não paga nem mais um cêntimo e para mim faz toda a diferença

  • Encontre os melhores hotéis no  Booking. É onde eu faço as minhas reservas
  • Se precisa de transporte próprio, alugue um carro com a Rentalcars 
  • Reserve os seus bilhetes para monumentos e tours, evitando filas, usando o Get your Guide 
  • Faça um seguro de viagem com a Iati seguros (beneficia de 5% de desconto com este link).

Este post pode conter links de afiliados

2019-10-01T13:19:05+00:00

19 Comments

  1. Joana 19 Janeiro, 2014 em 13:26 - Responder

    Adorei! De certeza que foi uma experiência fascinante para o Bruno e esperemos que o espicace a querer mais, mais viagens e mais cultura. Os desenhos dele são lindos e tem um jeito para isso fenomenal. Vais ver que é só o começo de uma grande aventura.
    Beijo enorme para os dois.

    PS – 20 anos?! O Bruno já tem 20 anos? Fogo… estou velha…

    • Ruthia 19 Janeiro, 2014 em 15:26 - Responder

      Estamos querida (velhas). Tenho certeza que o futuro dele vai passar pela China (tenho cá um feeling…)
      Beijoca

  2. Anne Lieri 19 Janeiro, 2014 em 14:41 - Responder

    Parabéns ao seu sobrinho Bruno! Até discurso em japones conseguiu fazer,que legal! Beleza de viagem,amei as fotos! bjs e boa semana,

  3. Sissym Mascarenhas 19 Janeiro, 2014 em 14:56 - Responder

    Ruthia,

    Que bacana! Eu me senti nesta viagem linda, cultural, colorida!

    Bjs

  4. ✿ chica 19 Janeiro, 2014 em 15:00 - Responder

    Que experiência linda e inusitada pra vida do Bruno! Tanas coisas tão diferentes das nossas!Incrível e legal de ver! beijos praianos,chica

  5. Nilson Barcelli 19 Janeiro, 2014 em 20:04 - Responder

    Sentir a cultura chinesa no local deve ser muito bom.
    Não me importava nada de estar no papel do teu entrevistado…
    Mais um belo post, gostei.
    Ruthia, tem uma boa semana.
    Beijo.

  6. Toninha Borges 20 Janeiro, 2014 em 10:48 - Responder

    Adorei o post.
    E que riqueza se cultura.
    Bju

  7. Beatriz Bragança 20 Janeiro, 2014 em 15:35 - Responder

    Querida Ruthia
    Muitos parabens ao seu sobrinho Bruno pela viagem,pelo facto de saber mandarim,por fazer um tao belo arranjo floral,por tudo.
    Aprendi muito com esta sua publicaçao! Gosto imenso de viajar ,mas nunca passei para Oriente de Zagreb e Ljiubjiljana, que adorei conhecer.
    Obrigada por partilhar.
    Uma excelente semana.
    Beijinhos
    Beatriz

  8. Anónimo 20 Janeiro, 2014 em 21:31 - Responder

    Great post & photos!
    ^_^
    Want to follow each other? http://www.thegodwithinu.com/

  9. Marineide Dan Ribeiro 21 Janeiro, 2014 em 0:55 - Responder

    Seu blog é realmente um banho de cultura amiga.
    A gradeça ao Bruno por compartilhar conosco sua experiência.

    Bjusssssss

  10. MARILENE 21 Janeiro, 2014 em 2:35 - Responder

    Que beleza! Viagens proporcionam cultura e ele, certamente, não mais ficará quieto. Parabéns a ele pelo espírito aventureiro. Uma rica viagem. Bjs.

  11. Carlos Hamilton 21 Janeiro, 2014 em 15:44 - Responder

    Parabéns ao Bruno. Gostei muito.

    Abraços

  12. Stephanie 21 Janeiro, 2014 em 16:11 - Responder

    Amiga, meu pai foi para a China o ano passado e de fato ele falou que comer é algo bem complicado mesmo rs, por isso tb levou uns snacks na mala hahaha!!! Mas o pior mesmo foi a comunicação pq quem entende o que eles falam?! Hahahaha ele disse que se virou no inglês mas daquele jeito rs 🙂

    Beijos, Té

  13. Mariazita 21 Janeiro, 2014 em 17:13 - Responder

    Olá, Ruthia
    Muito obrigada pelo carinho da presença na minha «CASA».
    Vejo que o meu conto foi devidamente interpretado – pelo menos do meu ponto de vista…

    Essa viagem do Bruno foi, com certeza, fantástica! E, para ele, inesquecível, por muitos anos que viva.
    A "reportagem" está óptima. Permitiu-nos acompanhá-lo.

    Continuação de boa semana.
    Beijinhos

  14. Toninho 22 Janeiro, 2014 em 22:15 - Responder

    Uma bela experiência e formação. Parabéns ao Bruno pelo desempenho.
    Uma bela partilha amiga.
    Meu terno abraço.
    Bjo de paz e luz.

  15. Adriana 23 Janeiro, 2014 em 18:52 - Responder

    que bela experiência Ruthia!! Parabéns pro Bruno!!!
    De volta das férias, chegando devagarinho para colocar a casa em dia!!
    Passando para desejar um lindo e iluminado final de semana
    bjs
    tititi da dri

  16. Chris Ferreira 26 Janeiro, 2014 em 2:19 - Responder

    OI Ruthia, conhecer a China, passear pelas muralhas deve ser realmente incrível. Gostei muito da entrevista do Bruno e da experiência dele.
    beijos
    Chris
    Inventando com a Mamãe

  17. Dulce Morais 5 Fevereiro, 2014 em 8:14 - Responder

    Ruthia,
    Adorei esta publicação! A china através do olhar de um jovem apaixonado por essa cultura dá sede de mais!
    Bruno, o arranjo floral ficou muito bem! Ninguém diria que era o primeiro 🙂
    Abraço à tia e ao sobrinho.

  18. gabitorrezani 13 Novembro, 2018 em 18:31 - Responder

    Que interessante a experiência do Bruno, adorei ler! Também estou louca para desbravar o oriente…

Deixe o seu comentário

Subscreva a Newsletter 

Receba por email conteúdo, novidades exclusivas e muita inspiração para viajar a solo e em família (em português)

Fechar (X)

*Não envio spam