Lago de Sanabria (Espanha): uma prenda glaciar

Os picos montanhosos reflectem-se nas águas tranquilas do lago de Sanabria, uma magnífica herança da era glaciar. Há cerca de 100 mil anos, o gelo esculpiu este vale, hoje ocupado pelo maior lago natural da Península Ibérica.

A esta versão científica soma-se outra, muito mais interessante, que explica a formação do lago de Sanabria. Numa noite fria de inverno, um peregrino encharcado buscou ajuda na pequena aldeia de Valverde de Lucerna. Todos lhe recusaram ajuda, excepto duas irmãs, que coziam pão já no final da povoação. Aquecido e saciado com pão acabado de cozer, o estranho adverte as mulheres de que devem permanecer ali toda a noite.

Cá fora, na noite escura, o peregrino clama: “Aquí clavo mi bastón, aquí brote un gargallón“. E onde o cajado bate começa a brotar um grande caudal, inundando Valverde. Na manhã seguinte, um grande lago cobre o vale, restando apenas uma pequena ilha, com um forno a lenha.

lago de SanabriaAnálises às águas do lago

Já no século XX, Miguel de Unamuno, que visitara o lago (numa das margens funcionou em tempos um balneário termal, de águas sulfurosas), elevou esta lenda a literatura, na obra San Manuel Bueno, Mártir:

“Campanario sumergido 
de Valverde de Lucerna 
toque de agonía eterna
bajo el agua del olvido…”

Apuramos o ouvido e apenas ouvimos o vento, porque o potente catamarã que nos transporta é absolutamente silencioso. O Helios Costeau, assim baptizado em honra do deus sol  e do oceanógrafo Jacques Cousteau, é uma pequena maravilha tecnológica. Trata-se do primeiro barco eólico-solar do mundo. Por que não utiliza combustíveis fósseis é ambientalmente neutro. Impressionados?

E se vos disser que dois biólogos marinhos (Tomaz e María José) nos acompanham neste cruzeiro de hora e meia, em que se recolhem amostras para analisar a saúde do ecossistema, e que observamos os organismos num mega microscópio?

E se acrescentar que, junto à Isla de Moras y Bouzas, Tomaz mergulha com uma câmara que nos permite ver, em directo, o fundo do lago? Vasos, telhas e outros restos do que talvez fosse Valverde de Lucerna…. e até um  basilosaurus! E mais não digo, para não estragar a surpresa.

cruzeiro no lago de Sanabria
Parque natural do lago de Sanabria

O catamarã realiza estes cruzeiros turístico-ambientais desde 2011, graças à empresa Europarques, responsável também por aulas ecológicas no Duero-Douro.  As receitas são canalizadas para projectos de investigação da Estação Biológica Internacional. Agora sim, estão estupefactos, confessem lá!?

E tudo termina numa alegre confraternização, com um copo de cidra regional. Ali à volta, existe todo um Parque Natural para descobrir, com cascatas escondidas e castores envergonhados. Não nos demoramos, porque ainda teremos que chegar a Astorga esta noite, depois de já termos visitado a pequenina Puebla de Sanabria.

Agradecemos a cortesia da Europarques, que nos convidou para o cruzeiro no Helios Cousteau, e também pela forma amável e profissional com que nos receberam.

 

Cruzeiro no Helios Costeau: 16€ adulto /8€ criança (valores de 2017)

Planeie a sua próxima viagem

Faça as suas reservas através dos links parceiros. Não paga nem mais um cêntimo e para mim faz toda a diferença

  • Encontre os melhores hotéis no  Booking. É onde eu faço as minhas reservas
  • Se precisa de transporte próprio, alugue um carro com a Rentalcars 
  • Reserve os seus bilhetes para monumentos e tours, evitando filas, usando o Get your Guide 
  • Faça um seguro de viagem com a IATI (beneficia de 5% de desconto com este link).
  • Poupe em taxas bancárias, fazendo pagamentos seguros em qualquer parte do mundo com o cartão Revolut (usando este link não paga o envio do cartão)

Este post pode conter links de afiliados

2019-10-01T12:55:44+00:00

16 Comments

  1. ✿ chica 10 Maio, 2015 em 10:10 - Responder

    Que lindo saber mais disso tudo que nos encanta sempre! valeu e muito,não?E o pequeno explorador, sempre pronto para novas aventuras! Lindo domingo! bjs, chica

  2. AC 10 Maio, 2015 em 11:59 - Responder

    Helios Cousteau, e ele (o Pedrito) gostou. 🙂
    O que eu vou aprendendo por aqui!

    Um beijinho 🙂

    • Ruthia 10 Maio, 2015 em 12:39 - Responder

      O Pedrito gostou, claro. Em especial do basilosaurus, mas sobre esta personagem não posso contar mais nada…

  3. Rita Fonseca 10 Maio, 2015 em 12:46 - Responder

    Eu pessoalmente prefiro a versão da lenda 😛
    Adorei, um sítio deveras bonito e achei essa ideia de aulas de microscópio numa viagem de barco super original. Espero um dia passar por lá! 😉
    Já agora, achei o blog super interessante! Parabéns.

  4. Calu B. 10 Maio, 2015 em 13:29 - Responder

    Ruthia,
    estou passando só pra te deixar um abraço com votos de Feliz Dia das Mães brasileiro.Consegui assistir ao vídeo do jovem e elegante pianista…lindo demais. Obrigada.
    Deixei comentário lá no próprio.
    Volto depois pra ler mais esta rica página.
    Bjos,
    Calu

  5. Beatriz 10 Maio, 2015 em 14:29 - Responder

    Certamente um lugar para não esquecer! E eu, aqui do outro lado do oceano fiquei com uma vontade imensa de conhecer! Sou bióloga e fiz pós graduação em Biologia Marinha há muito tempo… Sou uma eterna apaixonada pelas pesquisas e viagens de Jacques Cousteau! Que lindo passeio, Parabéns à família toda!!!

    Beijinho

    Bia <°)))

    • Ruthia 10 Maio, 2015 em 16:21 - Responder

      Imagino que para alguém com a sua formação, seja um destino muito apetecível. O lago é belíssimo e o barco é qualquer coisa de extraordinário. Imagina, ambientalmente neutro, não faz barulho nenhum, não perturba o ecossistema…. formidável. Adorei conhecer todo o projecto da Europarques, que também fazem actividades no Douro Internacional, entre Portugal e Espanha.
      Beijinho Bia

  6. Beatriz Bragança 11 Maio, 2015 em 15:39 - Responder

    Querida Ruthia
    Apesar de tão perto das minhas origens, ainda não conheço esse lago!
    Como deve ser interessante o cruzeiro!
    Obrigada pela divulgação.
    Um beijinho
    Beatriz

  7. Anónimo 11 Maio, 2015 em 20:50 - Responder

    Esse sitio parece ser fantástico! Tenho que ir lá um dia!
    Beijinhos

  8. Sissym Mascarenhas 11 Maio, 2015 em 21:10 - Responder

    Ruthia,

    O lugar é lindo, fora o que se tem a saber.
    Mas parece muito frio, o vento é gelado… eu acho que sim.

    O seu filho curtiu um bocado! Será um homem culto.

    Beijinhos

  9. Ruthia 11 Maio, 2015 em 23:05 - Responder

    Ana Araújo, seja bem vinda, retribuirei a sua amável visita logo que possível.
    Sissym, no Inverno deve ser um lugar gelado mesmo, mas imagino que no Verão magnífico, com tantas árvores, lugares para picnics….
    Beijinhos querida

  10. Elvira Carvalho 12 Maio, 2015 em 17:54 - Responder

    Deve ser uma viagem deveras interessante.
    Um abraço e fique bem

  11. M. 12 Maio, 2015 em 22:20 - Responder

    Acho os lagos fascinantes e desconhecia este! Um assombro de passeio, como imagino pela fabulosa descrição 🙂
    Beijinhos (acabam de sair dois tabuleiros de biscoitos do meu forno…)

    • Ruthia 13 Maio, 2015 em 6:38 - Responder

      Isso não se faz, vir aqui falar de biscoitos. E enviares uma caixinha cá para casa, hã?
      Beijinhos 🙂

  12. Adriana LARA 13 Maio, 2015 em 21:00 - Responder

    Ruthia, que coisa maravilhosa, um passeio inesquecível certamente e cheio de histórias e curiosidades!!! e o catamarã!! sensacional, amiga!!!Parabéns pelos belos momentos vivenciados!!
    bjs

  13. Dulce Morais 18 Maio, 2015 em 6:38 - Responder

    Parece um lugar além do tempo…
    Belíssimo, Ruthia!

    Boa semana, viajante! 🙂

Deixe o seu comentário