Puebla de Sanabria, terra de cidra, lobos e gigantes

Perdidos no meio da meseta de Castilla y Léon, encontramos um pequeno povoado de pedra, que cresceu ao abrigo do castelo-forte do século XV. Chegamos a Puebla de Sanabria

Festejamos o fim-de-semana da mamã em Espanha. Estamos a criar uma espécie de tradição familiar, digo eu! (recordem o Dia da Mãe de 2014, em Ciudad Rodrigo). Desta vez rumámos à província de Zamora (na comunidade autónoma de Castilla y Léon), para um roteiro que incluiu Puebla de Sanabria, o lago homónimo e Astorga.

Falemos deste povoado medieval. Os condes de Benavente alcandoraram as suas muralhas defensivas num lugar inteligente, delimitado por três cursos de água: os rios Castro e Tera e um pequeno ribeiro, de seu nome Ferrera.

Estas águas abundantes fecundam extensos pomares de macieiras, cujo fruto é transformado na famosa cidra sanabrense, pouco alcoólica e 100% natural, que encontramos em todos os bares, taperias e lojinhas de produtos regionais. Fresca deve ser óptima, mas não hoje que os céus nos presentearam com uma chuva miudinha.

No cume deste monte, concentra-se um conjunto monumental que merece uma visita. Começamos pelo castelo de Puebla de Sanabria, onde nos disfarçamos de cavaleiros. O pequeno explorador ensaia uma pose combativa para a foto, mas a couraça é muito pesada!

panorâmica de Puebla de Sanabria
Castelo de Puebla de Sanabria

O castelo tem a lenda de uma moura que fugia durante a noite dos calabouços para cantar uma bela melodia estrangeira e pentear os seus longos cabelos.

 

O centro histórico da vila

O interior do recinto muralhado foi reconvertido e hoje acolhe uma Casa de Cultura, a Biblioteca, um ecomuseu e, no centro deste gigante de granito, a torre de menagem, popularmente conhecida como “El Macho“, de onde se tem uma vista magnífica para o rio e para o pináculo da igreja paroquial, do século XII, em honra da Virgem do Azougue.

É para lá que nos dirigimos, não sem antes lermos a mensagem destinada a todos os peregrinos que por aqui passam, rumo a Santiago (Puebla de Sanabria faz parte da rota francesa do Caminho):

Todas las olas de la Historia han dejado aqui su paso. Los celtas el nombre. Los suevos la primera organización. El monacato y los mozarábes su huella y los condes su empaque. Caminante, que tu también, en cada ola de tu historia dejes, con tus buenas obras, memoria de tu paso. el amor es el camino.”

O templo está fechado mas o que realmente aqui me trouxe foi simplesmente a porta, com o seu Adão e Eva e uma serpente que lhes sussurra ao ouvido. Uma cena típica do Génesis, dirão. Pois. Só que os restantes capitéis também estão repletos de serpentes que, para alguns, simbolizam a Grande Obra da alquimia (teoria aqui). Aliás, o azougue é o nome comum do símbolo químico do mercúrio, também muito popular entre os alquimistas.

Será que a Senhora do Azougue esconde um passado pagão? Não chego a nenhuma conclusão e o Pedrinho acaba por interromper os meus devaneios metafísicos. A mãe tem assim momentos estranhos: como congelar em frente a uma porta fechada!? E lá seguimos alegremente para o Salón de los Obreros.

 

Porta da Igreja da Senhora del Azogue

Porta da Igreja da Senhora del Azogue, com as suas enigmáticas serpentes.

 

vista sobre o rio Tera

 

Gigantones seculares

Os cabeçudos e os gigantones povoam o imaginário de todos os minhotos, graças à sua presença assídua em várias romarias. Para ser sincera, nunca parei para pensar na diferença entre um cabeçudo e um gigantone… Mas afinal é muito simples, todos têm cabeças grandes mas alguns, para além disso, são gigantes – explica o técnico do Museo dos Gigantes y Cabezudos de Sanabria.

A povoação tem uma longa tradição destas personagens. Tudo começou em 1848, com dois gigantones exóticos: uma negra caribenha e um chinês. Depois, outros se juntaram à trupe, para abrilhantarem as Festas de las Victorias, que acontecem anualmente a 7 e 8 de Setembro.

O pequeno museu conta hoje com 10 gigantones e 33 cabeçudos que representam seres mitológicos – diabos, bruxas, duendes e magos – personagens literárias como D. Quixote e Sancho Pança, Dumbo ou o Pinóquio, e mesmo figuras históricas, como Napoleão Bonaparte. Os cabeçudos e gigantones de Sanabria não só são antigos como também viajados, participando em vários encontros da Península Ibérica.

Puebla de Sanabria é tão pequena como surpreendente. E os seus tesouros não se esgotam neste post. Em breve falarei sobre um dos mais belos locais da região: o Lago de Sanabria.

 

Entrada no Castelo: 3€ adulto /2€ criança. O bilhete dá ainda acesso ao Museo de Gigantes y Cabezudos (valores de 2017)

Planeie a sua próxima viagem

Faça as suas reservas através dos links parceiros. Não paga nem mais um cêntimo e para mim faz toda a diferença

  • Encontre os melhores hotéis no  Booking. É onde eu faço as minhas reservas
  • Se precisa de transporte próprio, alugue um carro com a Rentalcars 
  • Reserve os seus bilhetes para monumentos e tours, evitando filas, usando o Get your Guide 
  • Faça um seguro de viagem com a IATI (beneficia de 5% de desconto com este link).
  • Poupe em taxas bancárias, fazendo pagamentos seguros em qualquer parte do mundo com o cartão Revolut (usando este link não paga o envio do cartão)

Este post pode conter links de afiliados

2019-10-01T12:56:07+00:00

17 Comments

  1. Clara Lucia 4 Maio, 2015 em 22:34 - Responder

    Eu queria muito entrar num castelo desses, e depois num farol, desses que onde as águas quebram, bem alto, com escadarias e várias janelas…. Acho que até desmaiaria….
    Fotos lindíssimas e Pedrinho muito corajoso!
    Beijos, querida, uma ótima semana!

  2. Marta Iansen 4 Maio, 2015 em 23:31 - Responder

    Uau… belíssimo post. Estou pensando na "mensagem destinada a todos os peregrinos"…

  3. Toninho 5 Maio, 2015 em 4:02 - Responder

    Bom dia e boa semana Ruthia e pequeno desbravador nos passando belas informações e curiosidades. Não sabia deste trecho do Caminho de Santiago.
    Bonita a mensagem aos peregrinos.

    Carinhoso abraço amiga]
    Bjs de pazz.

  4. Dulce Morais 5 Maio, 2015 em 7:35 - Responder

    Que linda forma de celebrar o dia da mãe! 🙂
    Gostei muito dos Gigantes y Cabezudos.
    Beijinhos à mamã e ao pequeno explorador.

  5. ✿ chica 5 Maio, 2015 em 10:57 - Responder

    Que beleza,Ruthia e imagino a sensação do "pequeno Explorador!" ao ver esses gigantes e tudo isso! Lindo e esse lugar é uma boa escolha para festejar o dia das mães! bjs, chica

  6. Adriana LARA 5 Maio, 2015 em 18:53 - Responder

    magnífico dia das mães foi o teu!! aqui comemoraremos no próximo domingo… e creio que teremos chuvas e muitas trovoadas (em função do desafeto de meu marico + minha mãe) pois minha sogra quer reunir todos num almoço que talvez me seja indigesto como foi o da Páscoa…. mas tudo bem, faz parte…. lindo post, lindos lugares que me fazem sonhar… bem sabes que adoro esses teus passeios… Vistes como tens conseguido me incentivar… aqui no feriado do dia primeiro de maio, sai com o filho e fomos caminhar e fotografar lugares tão próximos de nossa casa, mas que não conhecemos de fato, pois com o advento do automóvel, sempre se procura ir o mais distante, deixando o próximo no esquecimento….
    bjs amiga querida, desejando-te excelente semana!

    • Ruthia 5 Maio, 2015 em 20:54 - Responder

      Fico feliz por inspirar os vossos passeios mãe-filhote. Não é preciso ir longe, apenas com o coração aberto.
      Boa sorte com o almoço de domingo…
      Beijinhos

      P.S. O Dia da mãe mereceu um fim-de-semana inteiro de passeio, pelo que há mais sobre Espanha nos próximos dias

  7. Marisa Pereirinha 5 Maio, 2015 em 21:32 - Responder

    Que benção poder ter o privilégio de comemorar esse dia tão especial com seu filho em um lugar tão belo. Obrigada por compartilhar conosco. Beijinhos

  8. MARILENE 8 Maio, 2015 em 17:40 - Responder

    Ruthia, uma bela forma de comemorar um dia especial. Gosto de ver as fotos de seu filhote, já tão rico em informações e experiências. Confesso que lugares como esses me despertam o desejo de estar lá, com vocês (rss). Além da história, você ainda nos apresenta as lendas que envolvem alguns prédios. Esses passeios que vocês realizam , tão bem descritos, me encantam. Bjs.

  9. Sara em Londres 8 Maio, 2015 em 20:21 - Responder

    Ola, Adorei conhecer e ler o teu blog!!
    Boas informacoes! Parabens!

    Beijinhos

    ** Já estou a seguir-te! Vem me seguir também!
    Saraemlondres Blog !! Facebook !! Youtube

    • Ruthia 9 Maio, 2015 em 7:02 - Responder

      Olá Sandra. Seja bem vinda, retribuirei a visita logo que possível

  10. cris braghetto 9 Maio, 2015 em 10:55 - Responder

    Olá querida Ruthia!
    Adorei ver as fotos do pequeno explorador, inserido, literalmente, no cenário da época.
    Que belo presente para o Dia das mães. Gostei bastante das informações e aguardo os próximos artigos sobre esse belo passeio.
    Aproveito para lhe desejar parabéns pela passagem do Dia das mães, que aqui no Brasil será comemorado amanhã 10/05.
    Um grande beijo e um belo fim de semana para você e sua linda família.

  11. Beatriz 9 Maio, 2015 em 22:36 - Responder

    Ruthia, que linda esta construção de pedra, e tão perto de Portugal!
    Boa ideia passar o dia das mães em lugares diferentes e tão instigantes assim…
    Os bonecos gigantes parecem muito com os de recife, aqui no Brasil, que saem às ruas em pleno carnaval nordestino!

    beijinhos e bons ventos por aí!

    Bia <°)))<

  12. AC 10 Maio, 2015 em 11:57 - Responder

    Ruthia,
    Viajar com o Berço é sempre garante de satisfação para os olhos e para a alma.
    Vamos lá então apontar, no meu bloco, Puebla de Sanabria, é capaz de valer a pena.
    (Aquela porta intrigou-me)

    Um beijinho 🙂

    • Ruthia 10 Maio, 2015 em 12:38 - Responder

      Pois é, amigo AC. Fica aqui tão pertinho e é relativamente desconhecida.
      Acerca da porta, parece que o Caminho de Santiago, pelo menos a rota francesa, está cheia de símbolos de serpentes. Não posso atestar, porque só vi estas. Mas lá que é intrigante…
      Beijinho

  13. M. 3 Junho, 2015 em 13:10 - Responder

    E aprendo e aprendo e aprendo, obrigada! Ficaste tu congelada a olhar para a porta, e eu para a primeira imagem! Tiraste tu a foto? Parece um quadro, ou é mesmo assim? Quero ir lá!
    Beijinhos 🙂

    • Ruthia 3 Junho, 2015 em 16:09 - Responder

      Sim, é uma foto e tirada por mim. A sério que parece um quadro? É que não faz justiça ao lugar… Beijinhos

Deixe o seu comentário