Mixões da Serra: a bênção dos animais

Seguimos uma estrada sinuosa no meio de nenhures, de montes verdinhos e calhaus gigantes. O nosso destino: Santo António de Mixões da Serra, para assistir à bênção dos animais

Estamos mesmo às portas do Gerês, numa zona embalada pelo rio Homem. A justificar os sinais de trânsito que abundam por estas paragens, uma pacata manada de vacas, barrosãs e de longuíssimos chifres, interrompe-nos o caminho. Olham-nos com vagares budistas e não se dignam interromper a sua faina ruminante até um autocarro buzinar ruidosamente.

Alguns quilómetros depois, a quietude é substituída por uma forte cacofonia de gentes, carros, cavaleiros, foguetes e vendedores ambulantes.  No centro desta confusão e da aldeia minhota fica o santuário, onde se prepara a missa das onze.

Os leitores que já me vão conhecendo poderão estranhar esta súbita devoção. Acontece que esta cerimónia é um tanto peculiar: destina-se a crentes racionais e irracionais. Ou não fosse o Santo António, para além de casamenteiro, também conhecido como “advogado” dos animais.

santuário de Santo António em Mixões da Serra
Padre benze um cavalo

 

Vacas, cavalos, cães, gatos, possivelmente algumas cabras também, aguardam junto dos seus donos pela água benta. A secular bênção remonta ao século XVII (1680), quando uma grande peste vitimou boa parte dos animais que ajudavam os agricultores nas suas lides, nomeadamente vacas e cavalos.

Em desespero, a população prometeu a Santo António a construção de um templo, se este os livrasse da doença e dos lobos. O santo lisboeta “ouviu” as preces e surgiu então uma pequena capela no alto do monte. Desde então, acolhe no domingo imediatamente anterior ao 13 de Junho – dia de Santo António -, os animais enfeitados com flores, guizos e fitas vermelhas.

O padre Marques, pároco aqui há cerca de 40 anos, abençoa cada animal e cada dono, antes de seguir em procissão. Misturados com os crentes estão os animais, que largam  valentes prendas no chão empedrado (o pequeno explorador afirma, categórico, que as vacas cheiram muito mal). Há também os curiosos e os turistas, incluindo um grupo de estudantes chineses que causa admiração e tira muitas fotos.

Homem carrega um cão pequenino
Multidão em Mixões da Serra, para a bênção dos animais

A festa termina nas tasquinhas e restaurantes, por entre bacalhau, frango assado e caldo verde.

Deixamos a simpática aldeia minhota a derreter – estariam cerca de 40ºC –  e a imaginar como seria ainda mais interessante se outros animais domésticos se juntassem à festa: periquitos, asnos e mulas, papagaios, iguanas, tarântulas. Pensando bem, as tarântulas dispensavam-se!

Quem estiver na região do Gerês, sugerimos um roteiro mais prolongado pelo Alto Minho.

 

Planeie a sua próxima viagem

Faça as suas reservas através dos links parceiros. Não paga nem mais um cêntimo e para mim faz toda a diferença

  • Encontre os melhores hotéis no  Booking. É onde eu faço as minhas reservas
  • Se precisa de transporte próprio, alugue um carro com a Rentalcars 
  • Reserve os seus bilhetes para monumentos e tours, evitando filas, usando o Get your Guide 
  • Faça um seguro de viagem com a Iati seguros (beneficia de 5% de desconto com este link).

Este post pode conter links de afiliados

2019-04-14T21:23:52+00:00

27 Comments

  1. Marta Iansen 9 Junho, 2015 em 23:15 - Responder

    Pode dispensar as tarântulas. Já as iguanas são até simpáticas. Ora, toda a bicharada que vive no Brasil (dados oficiais dizem que já há, por aqui, mais animais de estimação que crianças) tem de esperar mais tempo pela festa, já que benção para os animais, só mesmo no dia de São Francisco de Assis, em outubro. Santo Antônio, em terras brasílicas, só tem de ocupar-se dos casamentos, para aqueles ou aquelas que ainda querem isso…

  2. ✿ chica 10 Junho, 2015 em 9:07 - Responder

    Que lindo relato e bem mostrado nas fotos! Adorei saber e também deixaria as tarântulas e até cobras de fora,rs… beijos, chica

  3. Kr. Eliane 10 Junho, 2015 em 11:18 - Responder

    que bonito !!!
    gostei muito desta postagem..
    é uma pena que valores religiosos e simplicidade vão desaparecendo pouco a pouco..
    pelos erros cometidos nestes caminhos, vai-se criando outros, e com isso erros piores vão acontecendo…
    :0)))

  4. Adriana LARA 10 Junho, 2015 em 14:17 - Responder

    aqui, o Santo que abençoa os animais, é apenas São Francisco (nome de meu pai, lembras?), tal qual escreveu Marta Iansen. A Santo Antônio – que é o padroeiro em nossa cidade, atribui-se o casamento mesmo… eu, já vos pedi muita coisa e com fé fui atendida, principalmente em tempos de escola (estudava no Colégio Santo Antônio e frequentava a Igreja de mesmo nome) quando pedia ao Santo que me ajudasse a ter concentração para os estudos, me sentia mais forte e melhorava meu conhecimento.
    Deve ser uma festa muito bonita… E concordo que as tarântulas, bem como aqueles animais rastejantes que me arrepio dó de pensar nos mesmos… cobras, minhocas.. são dispensáveis!
    bjs desejando ótima quarta! beijinhos no pequeno Pedro, que já nem é mais tão pequeno.. notei seu crescimento!

  5. Lúcia Bezerra de Paiva 10 Junho, 2015 em 15:35 - Responder

    Enquanto ia lendo e apreciando as fotos, já ia formulando o comentário…mas, encontro uma brasileira que me antecipou e disse o que eu diria, sobre o nosso protetor dos animais, São Francisco de Assis…: no dia 4 de outubro, em todas as igrejas franciscanas, em todo o Brasil, há a "bênção dos animais". Postagem linda, Ruthia! Santo Antônio de Lisboa também é muito venerado por cá… Beijo!

  6. Calu B. 10 Junho, 2015 em 22:40 - Responder

    Ruthia,
    não conhecia mais essa habilidade de Santo Antônio, advogado dos animais.Por aqui o portador dessa categoria é o São Francisco de Assis,e no dia dedicado a ele acontece a benção dos animais.
    As festividades reforçam a memória do povo e, agregam datas marcantes. .
    Bjss,
    Calu

  7. Sissym Mascarenhas 11 Junho, 2015 em 2:11 - Responder

    Que interessante conhecer estas diferenças culturais.
    Como disse a Marta comentou acima, é exatamente o que eu tambem acrescentaria.
    Costumava levar meu caozinho para receber benção, mas nunca tive coragem de levar a gata,
    com certeza, ela ficaria muito nervosa. Eu vejo gatos andando nas ruas ate de coleira, andam como cachorros.

    Bjs

  8. Ruthia 11 Junho, 2015 em 6:07 - Responder

    Tanto quanto eu sei, esta tradição peculiar só acontece naquela pequena aldeia. Embora, e algumas situações específicas, os padres possam abençoar uma manada ou grupo de animais colectivamente… mas aqui acontece um a um, água benta para o bicho e para o dono.
    Abraço meninas

  9. Clara Lucia 11 Junho, 2015 em 13:57 - Responder

    Que agonia caminhar no meio dessa manada! Eu ficaria louca e completamente imobilizada.
    Santo Antônio, coitado, trabalha bastante. Nessa época, por exemplo, é colocado de cabeça pra baixo dentro de um copo dágua, ou então lhe arrancam o menino jesus, até que se arrume um namorado. Eu não faria isso com ele de jeito nenhum, tadinho!
    Beijos

  10. Teresa Silva 11 Junho, 2015 em 15:45 - Responder

    Sem dúvida uma invasão de animais, dos maiores aos mais pequenos, não faltou nenhum!

    Bjxxx

  11. Marineide Dan Ribeiro 11 Junho, 2015 em 16:59 - Responder

    Aqui seria São Francisco de Assis (protetor dos animais) É a primeira vez que ouço que a festa de Santo Antonio é também dos animais… Enfim, todos os santos deveriam gostar dos animais, uma vez que eles são tão puros!!!

    Obrigada pela informação e pela bela postagem!

    Bjussssssss

  12. Maria Teresa Valente 11 Junho, 2015 em 18:28 - Responder

    Olá Ruthia, parece que muitos, assim como eu, não conheciam esse outro lado de Santo Antonio. Mas, acho muito bonito as manifestações culturais e religiosas, são elas que mantém o povo unido e dão mais vida aos lugarejos. Muito linda a postagem e as imagens. Obrigada, abraços carinhosos
    Maria Teresa

  13. Algodão Tão Doce 11 Junho, 2015 em 20:26 - Responder

    Palavras gentis são um favo de mel, doçura para a alma
    e saúde para o corpo.(Pr 16,24)
    Obrigada por partilhar todas essas ricas informações!!!
    Beijo grande, Marie.

  14. Zilani Célia 12 Junho, 2015 em 1:49 - Responder

    OI RUTHIA!
    POIS É, NUNCA OUVI FALAR SOBRE O SANTO ANTÔNIO SER PROTETOR DOS ANIMAIS, MAS QUEM SABE DAS COISAS É O POVO MESMO.
    SEMPRE GOSTOSO DE LER TUAS POSTAGENS, SÃO MUITO RICAS.
    ABRÇS

    • Ruthia 12 Junho, 2015 em 6:05 - Responder

      Olá Lani. Não sei os "dons" de cada santo, mas sei que existe mais do que uma capela em Portugal dedicada ao Santo António a quem apelavam quando os animais (sobretudo os de trabalho, corriam perigo).
      O padre, nesta eucaristia, recordou um milagre feito pelo Sto António, quando uma mula se ajoelhou perante a hóstia, provando que ali estava algo sagrado…
      Abraço

  15. Beatriz 13 Junho, 2015 em 21:15 - Responder

    Viu só? Não é a toa que sou fã de Santo Antônio!!!!
    A foto das vaquinhas está demais! ADOREI esta confusão de animais por aí!!!

    Beijinhos
    Bia <°)))<

    • Ruthia 13 Junho, 2015 em 21:23 - Responder

      Concordo plenamente, as vacas são super fotogénicas (um pouco malcheirosas, no entanto, rs)
      Beijinhos

  16. Elvira Carvalho 15 Junho, 2015 em 23:40 - Responder

    Costumes curiosos e interessantes. As imagens estão muito bonitas.
    Um abraço

  17. M. 16 Junho, 2015 em 7:39 - Responder

    Ui, os meus gatos não iam gostar nada… É incrível como essa tradição se manteve até hoje, mesmo sendo Vila Verde ainda muito rural. Tenho uma amiga que vivia lá e junto da casa dela havia "a venda" (ou seja, uma loja onde vendiam de tudo)…
    Beijinhos 🙂

  18. AC 17 Junho, 2015 em 17:06 - Responder

    Uma crónica/reportagem com o condão de saber transmitir o sentir colectivo daquelas gentes. Muito bem, Ruthia.
    "… pensando bem, as tarântulas dispensavam-se". E, já agora, porque não os asnos? 🙂

    Um beijinho 🙂

    • Ruthia 17 Junho, 2015 em 20:07 - Responder

      Oh amigo AC, só se dispensavam os asnos de 2 pernas, porque os de 4 patas são do mais giro que há 🙂

  19. Existe Sempre Um Lugar 17 Junho, 2015 em 17:28 - Responder

    Boa tarde, que as festas populares nunca seja esquecidas, fazem para da nossa cultura, pessoalmente gosto de estar presente nas mesmas.
    AG

  20. cris braghetto 21 Junho, 2015 em 13:01 - Responder

    Oi Ruthia!
    Seja São Francisco ou Santo Antonio, o importante é que nossos bichinhos sejam iluminados e protegidos dos maus-tratos e das doenças. Gostei muito de conhecer esta festa que deve agradar muito as crianças, apesar do mau cheiro, como diz o pequeno explorador.(rsrsrs lindinho).
    Adoro animais! Tenho três cadelinhas, um jabuti, e muitos passarinhos que vêm visitar meu jardim.
    Obrigada por mais esta linda postagem querida!
    Um grande abraço para você e família.

  21. Paulinha Costa 9 Julho, 2015 em 15:24 - Responder

    sou apaixonadas por animais, que festa maravilhosa, adorei as fotos.
    adorei conhecer seu blog, e ja estou seguindo se quiser conhecer o meu ficaria muito feliz http://ornague.blogspot.com.br/

    • Ruthia 9 Julho, 2015 em 16:04 - Responder

      Olá Paulinha, seja muito bem vinda a este cantinho de aventuras. Retribuirei a sua visita, com todo o prazer.
      Um abraço

  22. Anabela C. 15 Agosto, 2015 em 22:53 - Responder

    Só tem estas fotos? Eu estive lá com a minha cadela.. e havia muitos fotógrafos..
    http://alebanac.blogspot.pt

    • Ruthia 23 Agosto, 2015 em 15:07 - Responder

      Olá Anabela, seja muito bem vinda ao meu cantinho. Tenho mais fotos, mas acho que estas são representativas. Só costumo usar imagens próprias, excepto em algumas situações pontuais.
      Agradeço a sua presença e o seu comentário

Deixe o seu comentário

Subscreva a Newsletter 

Receba por email conteúdo, novidades exclusivas e muita inspiração para viajar a solo e em família (em português)

Fechar (X)

*Não envio spam