O real alcázar e a alma árabe de Sevilha

No tempo em que era capital do Al-Andaluz e casa dos califas almóadas, Sevilha era uma grande metrópole, com lindos palácios e uma vida artística notável. No Real Alcázar de Sevilha ainda ecoam memórias desses tempos

Que o sul de Espanha foi o bastião muçulmano até à sua expulsão definitiva da Península Ibérica, toda a gente sabe. O que alguns poderão não saber é que a Catedral de Sevilha ainda guarda vestígios arquitectónicos dessa época, nomeadamente a linda Giralda e a Porta do Perdão.

Várias outras igrejas repousam sobre ruínas árabes e desvendam pequenos detalhes desse passado. É o caso da Igreja do Salvador, erguida sobre a mesquita de Ibn Adabbas, da época do reinado de Abd al-Rahman II.

Uma placa na atual ponte Isabel II, que liga o centro histórico ao bairro de Triana, recorda que ali estava, originalmente, a “puente de barcas”. Durante quase sete séculos, foi a única grande ligação entre as duas margens do Guadalviquir. E, adivinhem, foi mandada construir pelo califa Abu Yakub Yussuf (o mesmo que iniciou a Giralda).

 

Evitem filas, reservem a visita online!

 

Mas a alma árabe de Sevilha revela-se com toda a força nos alcáceres, esse conjunto de palácios universalmente conhecido como Real Alcázar. O espaço começou a desenhar-se com a captura da cidade pelos árabes, no ano de 713, até se tornar o centro oficial e literário dos almóadas.

Depois passou para as mãos dos cristãos, que foram acrescentando secções ou reformando as anteriores. Por exemplo, Alfonso X criou três grandes salões góticos e Pedro I construiu um magnífico palácio em estilo mudéjar.

 

 

Pela porta de Leão

É óbvio que houve várias alterações posteriores, mas vários reis respeitaram o espírito inicial. Ou seja, há construções do período árabe, gótico, renascentista e barroco. Mas o dominante é o mudéjar – estilo de arte cristão que integra elementos estéticos islâmicos – muito comum por toda a Andaluzia.

Uma área do Real Alcázar está reservada para a família real espanhola, é mesmo possível visitar o quarto real por um acréscimo no preço do bilhete. Outros espaços se destacam, como seja o Pátio das Donzelas, um jardim de inverno cercado por colunas de mármore. A partir dali, os salões sucedem-se, em ritmo labiríntico, quase vazios de mobília e objectos, mas cheios de detalhes delicados e azulejos deslumbrantes.

 

 

Mas nada nos prepara para a exuberância do Salão dos Embaixadores, onde se realizavam as cerimónias oficiais do palácio. Os belos mosaicos são coroados com uma cúpula dourada, difícil de descrever. Não é difícil imaginar o rei D. Carlos I a casar-se ali com uma princesa portuguesa. Tampouco nos surpreende que a rainha Isabel I recebesse Colombo, no seu regresso do novo mundo, naquele cenário.

Resta-nos assimilar esta sobrecarga sensorial nos belos jardins, repletos de laranjeiras, onde tropeçamos na singela homenagem à primeira viagem à volta do mundo. Feita por um português, de seu nome Fernão de Magalhães.

 

Real alcázar site | Horário: outubro-março 9h30-17h00, abril-setembro 9h30-19h00 | Bilhete: 11,50€ (adulto), 3€ (17-25 anos), grátis (até 16 anos), acesso ao quarto real +4,5€.

Dica: recomendo vivamente agendar a visita antecipadamente online, já que as filas são longas. Acresce 1€ por pessoa ao preço do bilhete.

 

Projecto 8on8

Este post faz parte do 8on8, um projecto colectivo que une lindas viajantes em volta de um tema comum, no dia 8 de cada mês. Espreitem os restantes textos sob o tema “monumentos”, inspirem-se e partilhem (por ordem alfabética):

Destinos por onde andei: Monumentos no Mundo – Arcos maravilhosos
Entre Polos: Anıtkabir – O Grande Monumento da Turquia
Mulher Casada Viaja: Pantheon, o senhor de Roma
Turistando.in: As antigas portas de entradas das cidades italianas
Viajando em 3, 2, 1: Top 8 monumentos na Europa

Planeie a sua próxima viagem

Faça as suas reservas através dos nossos parceiros. Não paga nem mais um cêntimo e para mim faz toda a diferença

  • Encontre os melhores hotéis no  Booking. É onde eu faço as minhas reservas
  • Se precisa de transporte próprio, alugue um carro com a Rentalcars 
  • Reserve os seus bilhetes para monumentos e tours, evitando filas, usando o Get your Guide 
  • Faça um seguro de viagem com a IATI (beneficia de 5% de desconto com este link).

Este post pode conter links de afiliados

2019-03-09T08:39:26+00:00

32 Comments

  1. Marcia Picorallo 8 Março, 2019 em 15:43 - Responder

    Se eu tivesse que escolher apenas uma região da Espanha para cohecer, certamente seria a Andaluzia! Como me encanta esta mistura Ocidente-Oriente! E você sempre trazendo História aos seus relatos, a pinceladas, adoro!

    • Ruthia 11 Março, 2019 em 6:43 - Responder

      O país é muito grande, pelo menos quando comparado com Portugal, cada região tem as suas especificidades. Mas confesso que as da Andaluzia são particularmente lindas

  2. Zudi Dadalt 9 Março, 2019 em 22:55 - Responder

    Ruthia, eu adoro toda a Espanha, inclusive sonho em morar lá no futuro, mas a Andaluzia é sem dúvida minha região favorita. A arquitetura moura me encanta profundamente, então fico fascinada por todo lado que vou. Estive em alguns alcazares em minhas viagens, mas este ainda não tive a oportunidade de conhecer. Confirmado que preciso muito ir à Sevilha.

    • Ruthia 11 Março, 2019 em 6:44 - Responder

      Acho que é um país simpático para se morar. Clima bom, seguro e organizado q.b. e com muita coisa para ver e fazer

  3. Belquior Gonçalves 10 Março, 2019 em 2:37 - Responder

    Sevilla é uma cidade incrível! Estive de passagem enquanto morava em Cádiz, conheci Granada. Certeza quando voltar a Espanha vou conhecer o real alcázar. Parabéns pelas fotos!

    • Ruthia 11 Março, 2019 em 6:45 - Responder

      Cádiz também parece ser uma cidade encantadora. Um dia estico o passeio até lá

  4. Gisele Prosdocimi 10 Março, 2019 em 5:35 - Responder

    Sevilha entrou para minha lista de desejos após assistir à um programa culinário de televisão, cujo cenário era esta cidade esplendorosa.
    Seu post e fotos vieram confirmar que não posso jamais deixar de lado este destino quando puder visitar a Espanha, seria um sacrilégio, desculpe o exagero.
    Parabéns pelos belos registros e escolha, adorei!

    • Ruthia 11 Março, 2019 em 6:46 - Responder

      Bem vinda aO Berço e ao projeto 8 on 8, Gisele. Se puder incluir a Andaluzia na sua viagem, não dará o tempo por perdido.
      Abraço

  5. Gabriela Torrezani 10 Março, 2019 em 11:23 - Responder

    O Real Alcázar de Sevilha é, sem sombra de dúvida, um dos lugares mais fantásticos que já visitei na vida. Dá para ficar horas e horas lá dentor observando os detalhes nas paredes, chãos e tetos. Lindo demais, adoraria voltar!

    • Ruthia 11 Março, 2019 em 6:47 - Responder

      A gente perde a noção do tempo. Aconteceu o mesmo connosco. E depois de explorar os jardins, voltamos para aquela secção e ficamos perdidos por lá

  6. Fabíola Moura 10 Março, 2019 em 18:14 - Responder

    Essa influência árabe na cultura espanhola é mesmo incrível. São muito detalhes para apreciar, mais legal ainda é conhecer a história por trás de tudo. Fiquei encantada como descreveu tudo e com muita vontade de ver de perto.

    • Ruthia 11 Março, 2019 em 6:48 - Responder

      O meu filho estudou recentemente a ocupação árabe da Península Ibérica e eu quis mostrar-lhe um pouco da influência que nos deixaram. Faz parte da nossa herança e da nossa história

  7. MICHELE 10 Março, 2019 em 22:36 - Responder

    Como me encanta esta mistura Ocidente-Oriente! E você sempre trazendo esses textos maravilhosos, simplesmente encantada! Já coloquei na minha lista de desejos

    • Ruthia 11 Março, 2019 em 6:49 - Responder

      Uma mistura fascinante mesmo. Encontra mais dicas sobre a cidade aqui no blog, se precisar.
      Abraço

  8. Luciana de Campos 10 Março, 2019 em 23:31 - Responder

    Que viagem que fiz pela história com você neste texto!! Já estou doida pra conhecer Sevilla e melhor o Real Alcázar, entender essa alma árabe. Adorei

  9. Mariana 11 Março, 2019 em 8:22 - Responder

    Visitei Sevilha duas vezes e nas duas vezes não conheci o Real Alcazar por causa das filas. Por isso, essa dica de comprar online antes é matadora! Faz toda a diferença MESMO! E que lugar lindo! Preciso muito voltar. <3

    • Ruthia 12 Março, 2019 em 6:40 - Responder

      As filas estavam longas mesmo e nós visitamos o lugar num fim-de-semana de fevereiro, ou seja, em época baixa

  10. Edson Amorina Junior 11 Março, 2019 em 10:40 - Responder

    Esse lugar é maravilhoso, nós passamos muito tempo aí dentro. A Olivia mesmo adorou passear pelas salas do Alcazar e ver os detalhes coloridos.

    • Ruthia 14 Março, 2019 em 7:17 - Responder

      Imagino que para uma menina pequena pareça um reino encantado 🙂

  11. Christian Gutierrez 11 Março, 2019 em 12:07 - Responder

    Fez pouco tempo que fui para Sevilha. A cidade tem mesmo alma árabe. Você pegou muita fila para entrar no alcazar? Nossa, eu fiquei uma hora na fila

    • Ruthia 14 Março, 2019 em 7:16 - Responder

      Não enfrentamos fila porque compramos o bilhete previamente online, com hora de entrada Christian. Recomendo que todos façam isso

  12. Helen Pusch 11 Março, 2019 em 14:46 - Responder

    O Real Alcázar é realmente espetacular – assim como Sevilha e a Andaluzia como um todo! É daqueles lugares que sinto muita felicidade por ter tido o privilégio de conhecer.
    Adorei a maneira como tu colocaste fatos históricos ao longo do texto, sensacional! Viajei lendo o post. Obrigada!

    • Ruthia 12 Março, 2019 em 6:41 - Responder

      Viajar é, de facto, um privilégio. Nós estamos tão habituados a isso, que nem refletimos acerca de tantas pessoas que gostariam de o fazer mas não conseguem, por vários tipos de razão

  13. Paula Abud 13 Março, 2019 em 10:34 - Responder

    O mais legal de tudo são todos esses detalhes em torno da história, acho fascinante, aliás sempre tive curiosidade por conhecer Sevilha, ainda quero, mas já me sinto um pouco mais íntima.

    • Ruthia 14 Março, 2019 em 7:18 - Responder

      Na região da Andaluzia há várias cidades que merecem uma visita, dá para fazer uma road trip memorável de cerca de uma semana

  14. Juliana Moreti 13 Março, 2019 em 17:58 - Responder

    Nunca passeei pela Espanha, apesar de ter o carimbo no passaporte (rsrsrsrs), mas apesar de ser um pais desconhecido para mim, esta é a região que mais me chama a atenção.
    Acho que a ocupação árabe da Península Ibérica nao se encontra na grade curricular brasileira do ensino médio, mas eu quero voltar para a Europa com o Léo e mostrar à ele um pouco desta influência

    • Ruthia 14 Março, 2019 em 7:14 - Responder

      O programa curricular varia em cada país, claro. Faz parte do nosso, porque teve um grande impacto na Península Ibérica e na formação de Portugal, enquanto país.

  15. Leo Vidal 13 Março, 2019 em 18:14 - Responder

    Eu amei conhecer o Real Alcazar de Sevilha e aconselho fazer a visita guiada. Conseguimos muitas informações e se atentar aos detalhes de cada salão ou jardim. Lindo demais.

  16. Paula 14 Março, 2019 em 6:15 - Responder

    Eu quando visitei Sevilha passei um dia quase inteiro no Real Alcázar, fiquei impressionada com a beleza do lugar e como cada jardim é muito bem cuidado

    • Ruthia 14 Março, 2019 em 7:15 - Responder

      Nós não exploramos tão bem os jardins, porque fomos num fim-de-semana muito frio. Privilegiamos o interior dos palácios. Mas no Verão deve ser uma delícia

  17. Ana Carolina 17 Março, 2019 em 11:46 - Responder

    Gostei muito da dica, acabei de colocar no meu roteiro pela Espanha. Ainda não tinha ouvido falar do Real Alcazar, mas parece lindo.

  18. Carla Mota 28 Março, 2019 em 11:20 - Responder

    Que belo passeio em Sevilha. Adorei a cidade. Ainda não visitei Alcazar por dentro porque tinha uma fila enorme quando lá fui. Tenho que voltar.

Deixe o seu comentário