Portalegre, visitar a cidade das tapeçarias

Ponto de partida para quem deseja visitar a região mais alta do Alentejo, Portalegre espera-nos com tradições surpreendentes e um gosto medieval

Rodeada pelas belezas naturais do Alto Alentejo, onde se destaca a Serra de S. Mamede, e perto da fronteira com Espanha, a cidade de Portalegre rende um agradável dia de passeio. Sobretudo na Primavera e no Outono, já que as temperaturas no Verão são capazes de derrubar um mamute.

A cidade guarda lindos vestígios do passado medieval, quando assumiu uma posição militar estratégica. É o caso do castelo e vários conventos, que se descobrem entre o casario branco e amarelo e as ruas sinuosas.

Depois há todo um conjunto de casas brasonadas e palácios de inspiração barroca, que se estendem até à Sé Catedral, na parte mais alta da cidade. É o caso do Palácio Amarelo, com as suas singulares varandas de ferro forjado, o Palácio dos Falcões ou o elegante Palácio Achioli.

As tapeçarias e as boleimas  (porque é que Portugal tem doces tão bons?) deixaram memoráveis lembranças da nossa passagem por lá. O nosso conselho? Se vai passar uns dias ao Alto Alentejo, inclua Portalegre.

 

Capela do Calvário

Se vai de carro, estacione na subida para a Capela do Calvário

O que visitar em Portalegre

Primeira paragem: posto de turismo. Uma funcionária simpática deu-nos um mapa e muitas dicas. A mais valiosa terá porventura sido onde estacionar gratuitamente na capital de distrito menos povoada do país.

Dica: estacione na subida para a Capela do Calvário. É onde os funcionários públicos deixam os automóveis durante o dia, porque praticamente todas as outras ruas do centro possuem apenas lugares de estacionamento pagos.

Se já tem um mapa, perca-se nas ruas calcetadas, descubra fragmentos das muralhas medievais, tome um café no Hotel José Régio e descubra os restantes pontos turísticos de Portalegre (clique nos links para mais informação sobre horários). Eis alguns locais interessantes:

Castelo de Portalegre: resta pouco do castelo medieval fundado por D. Dinis no século XIII. Parte das muralhas escuras e três torres destacam-se no meio das casinhas brancas. A entrada é gratuita, mas também não há muito para ver, excepto alguma exposição temporária (paga).

 

castelo de Portalegre

 

Sé de Portalegre:  a entrada no templo renascentista (século XVI) é igualmente gratuita. A catedral possui um conjunto único de pintura maneirista. Saiba mais sobre horários de funcionamento e ofícios religiosos aqui.

Conventos: após a extinção das ordens religiosas, a cidade deu novas funções aos antigos conventos e palácios. São exemplo disso o Convento de Santo Agostinho, o Convento de São Bernardo, o Convento jesuíta de São Sebastião ou o Convento de Santa Clara, onde instalaram a Biblioteca Municipal.

O mais bonito é o Convento de São Bernardo, hoje transformado em quartel da GNR. A guarda faz o que pode mas, claramente, não tem meios suficientes para manter o edifício, que precisa de uma intervenção. Ainda assim vale a pena ver os painéis de azulejos e o túmulo de D.  Jorge de Melo.

Dizem as más-línguas que o par amoroso esculpido sobre o jazigo, em mármore de Estremoz, é do próprio bispo e sua amada. Diz-se ainda que Filipe II de Espanha, depois de tomar posse do reino de Portugal, visitou Portalegre e, ao conhecer o sumptuoso túmulo, terá dito: “grande gaiola para um pássaro tão pequeno”.

 

Convento de S. Bernardo

 

Casa-Museu de José Régio: a casa onde o poeta viveu durante 33 anos foi transformada em museu, à semelhança do que aconteceu com a sua residência no norte do país [recorde A Velha Casa de José Régio]. O professor de francês era um coleccionador apaixonado de arte sacra e popular, como se pode ver quer na sua casa-museu em Portalegre, quer na de Vila do Conde.

Em Portalegre, cidade / Do Alto Alentejo, cercada / De serras, ventos, penhascos, oliveiras e sobreiros / Morei numa casa velha, / velha grande tosca e bela / À qual quis como se fora / Feita para eu Morar nela… (Toada de Portalegre, José Régio)

Café Alentejano: apesar de não ser o mais frequentado por Régio durante as suas tertúlias, o Alentejano tornou-se uma atracção turística por ter mudado muito pouco, desde que abriu portas no início do século XX com uma arquitectura modernista. David Mourão-Ferreira escreveu sobre os belos bifes que comia com o outro poeta neste museu vivo, repositório de memórias das gentes da terra.

 

café Alentejano

A linda tradição das tapeçarias

Já tinha ouvido falar das tapeçarias de Portalegre, sem compreender realmente o motivo da sua fama. Nesta visita à cidade alentejana, percebi a delicadeza e a arte que cada tapeçaria exige. Fiquei completamente rendida.

Cada uma delas é uma obra de arte, única, artesanal, que exige paciência e saber. A formação das tecedeiras é mais longa do que uma licenciatura e elas não podem utilizar as técnicas no exterior.

Cada peça é produzida na Manufactura de Tapeçarias de Portalegre, a partir de um original feito por um artista plástico. Do desenho passa-se ao esquema e à escolha de cores, de uma paleta com mais de 7 mil tonalidades, antes de seguir para os teares manuais. O processo é complexo e pode prolongar-se durante meses.

Quem quiser conhecer melhor esta secular tradição alentejana deve visitar o Museu de Tapeçaria de Portalegre Guy Fino, instalado num antigo solar. Ali encontrará obras magníficas de alguns dos mais reputados artistas nacionais e estrangeiros, incluindo Almada Negreiros, Júlio Pomar ou António Cargaleiro.

 

Tapeçarias de Portalegre

Uma das tapeçarias que mais me impressionou.

Dicas úteis para visitar Portalegre

Onde ficar

Nós fizemos um passeio de um dia a partir de Castelo de Vide, não pernoitámos na cidade. Mas pelo que percebemos ao visitar Portalegre, recomendamos o Rossio Hotel ou o Hotel José Régio, unidades de 4 estrelas bem localizadas e com uma avaliação muito razoável no Booking.

Onde comer

Todos os roteiros que lemos elogiavam o Solar do Forcado e as suas especialidades – carne bovina, veado estufado e leitão assado com arroz de cogumelos selvagens. Mas quando estivemos na cidade, o bendito restaurante estava fechado para férias.

O desespero e a fome já eram claros quando encontrámos a Petisqueira Migas, na Avenida da Liberdade. Abençoada hora. Optámos pelo menu do dia, que inclui sopa (não comemos, estava demasiado calor), prato de carne ou peixe, sobremesa, bebida e café. Tudo pela simpática quantia de 8€. Eu tracei um prato de chocos fritos e o Pedro uma vitela estufada. Estava tudo óptimo.

Para um café, recomendo a Pastelaria José Régio, junto do hotel homónimo, pelo ambiente e pela boleima. Este doce tradicional de Portalegre tem uma versão com maçã que eu amei.

 

Petisqueira Migas

 

Como chegar

De Lisboa, apanhe o IP7, tome a direcção 7 (Espanha/Évora) e a saída 7 (Portalegre, Estremoz). 777 não tem nada que enganar. Continue no IP2, tome a saída Estremoz/Espanha e siga até Portalegre. Do Porto, apanhe a A1 e depois a A23 em direcção a Abrantes/Torres Novas. Continue pela A23 até à 15 (Portalegre/Nisa) e depois é só seguir em frente.

Do Sul do país, apanhe o IP1 até à saída 10 (Lisboa/Messines). Prossiga até à saída 7 (Espanha/Évora/Vendas Novas), apanhe o IP7 na direcção 7 (Espanha/Évora), e depois apanhe a saída 7 (Portalegre/Estremoz). Tantos 7, novamente. Continue em frente até chegar a Portalegre.

Também é possível chegar de comboio, através do serviço regional (linha do Leste) que liga Entroncamento e Badajoz. É sempre necessário trocar de comboio, no Entroncamento, para apanhar esta linha. Para isso, consulte os horários da CP.

 

Planeie a sua próxima viagem

Faça as suas reservas através dos links parceiros. Não paga nem mais um cêntimo e para mim faz toda a diferença

  • Encontre os melhores hotéis no  Booking. É onde eu faço as minhas reservas
  • Se precisa de transporte próprio, alugue um carro com a Rentalcars 
  • Reserve os seus bilhetes para monumentos e tours, evitando filas, usando o Get your Guide 
  • Faça um seguro de viagem com a IATI (beneficia de 5% de desconto com este link).
  • Poupe em taxas bancárias, fazendo pagamentos seguros em qualquer parte do mundo com o cartão Revolut (usando este link não paga o envio do cartão)

Este post pode conter links de afiliados

2019-10-14T10:01:08+00:00

14 Comments

  1. chica 5 Outubro, 2019 em 22:08 - Responder

    Dicas e fotos maravilhosas e como teu explorador, ficaria também extasiada diante de tudo! Gostei muito! bjs, choica

  2. Gabriela Almeida Torrezani 7 Outubro, 2019 em 12:51 - Responder

    Gostei de conhecer Portalegre com você Ruthia… uma cidade famosa! Será que a Porto Alegre brasileira recebeu o nome por alguma relação com essa cidade portuguesa?

    • Ruthia 7 Outubro, 2019 em 14:56 - Responder

      É uma boa pergunta. Pode ter alguma relação, sim. Vou tentar descobrir

  3. Fabíola Moura 7 Outubro, 2019 em 14:17 - Responder

    Quantos lugares lindos Portugal nos reserva. Nunca tinha ouvido falar em Portalegre, lembrei das ladeiras de Olinda com a sua foto de uma rua da cidade. Os conventos parecem lindos e as tapeçarias me encantaram, ótima dica de passeio.

  4. Andrea 7 Outubro, 2019 em 16:11 - Responder

    Que bonitinha a cidade de Portalegre. Fiquei encantada com as tapeçarias, fiquei imaginando como é vê-las de perto. Adorei a dica.

  5. Diego Cabraitz Arena 7 Outubro, 2019 em 19:54 - Responder

    Adorei as tapeçarias, muito legal como algo tão simples transforma a cidade e deixa ela bem interessante. Um dia penso em visitar

  6. Fernanda 8 Outubro, 2019 em 2:54 - Responder

    Nem sabia das tapeçarias e olha que parei nessa cidade qnd conheci Portugal em 2001! hehehe mas acho que deve ter sido só uma parada rápida pra comer infelizmente…

  7. Mariazita 8 Outubro, 2019 em 9:02 - Responder

    Estive em Portalegre apenas parte de um dia, numa altura em que passámos uma semana na herdade Os Amarelos, perto de Estremoz, e todos os dias íamos a um local diferente.
    Gostei, mas agora, depois desta excelente descrição, fiquei com vontade de voltar com mais tempo para apreciar devidamente.

    Feliz Terça-feira e uma boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

  8. Suriàn 8 Outubro, 2019 em 11:42 - Responder

    Adoro tuas dicas. Amo tapeçaria e fiquei encantada com este lugar! Obrigada pela partilha

  9. Mariazita 9 Outubro, 2019 em 7:41 - Responder

    Querida Ruthia
    Porque é que desapareceu parte do meu comentário?
    Passei para ver se tinhas respondido e notei a falta…

    Continuação de boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

  10. Chritian 9 Outubro, 2019 em 13:09 - Responder

    Muito legal conhecer um pouco sobre tapeçaria e tanto Portalegre como esse museu ajudam muito a ter uma outra ideia sobre essa arte.

  11. Ana Carolina 9 Outubro, 2019 em 17:49 - Responder

    Portugal é surpreendente, cada cidadezinha charmosa com seus encantos e histórias. Andar por ruas estreitas com calçamento nos faz viajar no tempo e é muito legal para nossa cultura!

  12. Angela C S Anna 9 Outubro, 2019 em 20:19 - Responder

    gente, que demais aquela tapeçaria que vc destacou na foto, eu simplesmente nem imagino o quanto de tempo e criatividade levou para fazer. simplesmente incrivel! portalegre era um destino que nao conhecia e ja gostei!

  13. Itamar Japa 11 Outubro, 2019 em 3:45 - Responder

    Que lugar lindo! Adorei em especial a Capela do Calvário, muito bonitinha! Fiquei pensando se existe alguma relação com a Porto Alegre, aqui no sul do Brasil.

Deixe o seu comentário