A nossa Rota do Românico

Três rios – Sousa, Douro e Tâmega – protagonizam um caso de sucesso turístico, reconhecido com vários prémios, nacionais e internacionais. Vamos conhecer algumas pérolas românicas da região, embalados por lendas do tempo da fundação de Portugal.

Depois da experiência vinícola na bela Quinta da Aveleda, continuamos a explorar a Rota do Românico, um tesouro guardado no norte de Portugal, entre verdes paisagens, gente genuína e hospitaleira, comida farta e vinhos verdes.

Eles são castelos, torres, pontes, memoriais, mosteiros, igrejas e pequenas ermidas, num total de 58 monumentos, que fazem desta região um destino de referência para os apreciadores de história, em particular do românico, estilo de construção que perdurou entre os séculos XI e XIV (mapa completo aqui). Foi a época de D. Afonso Henriques, o Conquistador, quando se recuperou território aos mouros e se iniciou grandes construções como as Sés de Lisboa, Coimbra e Porto.

A arquitectura românica revela o papel que estas gentes desempenharam na fundação de Portugal. Entre as famílias nobres que aqui habitaram recorde-se os Ribadouro, família da qual descende Egas Moniz, o famoso aio do nosso primeiro rei.

A Rota do Românico estende-se pelo território de 12 concelhos nortenhos: Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Resende. Não sendo possível fazer a rota completa num fim-de-semana, escolhemos alguns pontos mais próximos e partimos à aventura.

 

Paço do Sousa, em Penafiel

Túmulo de Egas Moniz, aio do 1º rei de Portugal, no Mosteiro do Salvador

Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa (Penafiel)

Comecemos pelo início, com os antepassados de Egas Moniz, mentor do primeiro rei (dizem os fofoqueiros que poderá ter sido mais que isso, que seria mesmo o pai de D. Afonso Henriques, vá-se lá saber a verdade). O mosteiro foi fundado pelos seus antepassados com nomes originalíssimos: D. Trutesendo Galindes e D. Anímia (haha).

Egas Moniz foi sepultado na penumbra deste mosteiro, que adentramos através de uma porta com arcos quebrados, enfeitados com meias pérolas incrustadas. O túmulo ainda lá está, mas as ossadas desapareceram há muito, possivelmente durante uma das intervenções de restauro.

Igreja de São Vicente do Sousa (Felgueiras)

Considerada uma jóia do românico em Portugal, a igreja conserva ainda a traça do século XII, destacando-se o pórtico com os seus belos arcos trabalhados e uma rosácea a iluminar o altar-mor.

Escavações recentes descobriram várias sepulturas em redor desta igreja que em tempos fez parte de um conjunto maior, de monges beneditinos.

 

Igreja de São Vicente do Sousa

 

Mosteiro de Santa Maria de Pombeiro (Felgueiras)

Encontramos o Mosteiro de Pombeiro, com mais de mil anos de história e classificado como monumento nacional, na pequena aldeia do Burgo. O edifício actual começou a ser construído na segunda metade do século XII, tornando-se num dos mosteiros beneditinos mais importantes do norte do país.

A sua localização, na intersecção de duas grandes vias medievais da época, revela a sua importância: era ali que os reis se instalavam nas suas viagens e onde os peregrinos recebiam assistência. Entretanto o mosteiro foi bastante alterado, nomeadamente os claustros, que foram remodelados à moda neoclássica. No jardim, junto aos claustros já um pouco destruídos, está uma réplica da fonte setecentista que aqui habitou há longos séculos.

Torre de Vilar (Lousada)

A Rota do Românico tem muitas construções religiosas, daí ter incluído esta torre tão diferente do século XIII ou XIV, também conhecida como a torre dos mouros, que testemunha o  poder da família Riba de Vizela, senhores da região. Isto é, existiria ali uma domus fortis, uma residência senhorial fortificada, servindo a torre para transmitir uma imagem de nobreza e poder.

A autarquia criou um parque muito agradável em volta da torre, ideal para um piquenique ou simplesmente para aproveitar uma sombra e ler como se não houvesse amanhã.

 

Interior do Mosteiro de Santa Maria do Pombeiro

Mosteiro do Salvador de Travanca (Amarante)

Fundado no século XI pela linhagem dos Gascos (associada a Egas Moniz), o mosteiro é considerado um dos mais importantes templos beneditinos do país. É também um dos mais belos exemplares do românico português, que os historiadores chamam de “românico nacionalizado”, devido às características únicas.

Ao longo da Idade Média, Travanca cresceu em riqueza e poder, por exemplo, no século XIV, fez a proeza de contribuir com 1800 libras para as Cruzadas. Ainda hoje a torre medieval se ergue orgulhosa deste passado brilhante, quando Travanca era o principal estaleiro construtivo da região.

E já que chegámos a Amarante, recomendamos conhecer o seu doce fálico, um dos mais inusitados do país.

Mosteiro de S. Martinho de Mancelos (Amarante)

Nas mãos dos agostinianos desde o século XII, o singelo mosteiro está associado, em termos estilísticos, ao mosteiro de Travanca, ali perto. Ao lado, no pequeno cemitério, encontra-se o jazigo do pintor Amadeo de Souza-Cardoso, mestre do modernismo português.

Nos anos 90, Xosé Lois García estudou o monumento, identificando na decoração dos capitéis uma intenção deliberada de exaltar elementos naturais, como forma de enaltecer Deus por meio da natureza. Daí a diversidade de elementos vegetais, como lírios, palmeiras, videiras e oliveiras.

 

mosteiro de Salvador de Travanca em Amarante

 

Site da rota do românico: aqui

Pode reservar-se a rota, ou mesmo personalizar uma, através da equipa da Rota do Românico. Nós decidimos fazer a visita de forma independente, já que o percurso está bem sinalizado e o site inclui as coordenadas GPS de cada edifício. Optámos por um domingo de manhã, quando algumas igrejas estavam abertas para a missa semanal.

Marcação de Visitas: aqui

A marcação de visitas aos monumentos deverá ser efectuada com uma antecedência mínima de 24 horas (ou 48 horas para as visitas ao domingo), garantindo assim a abertura dos monumentos ou (4,17€/dia) o acompanhamento por um técnico do património (8,33€/hora).

Onde ficar: estivemos recentemente na região, graças ao I Encontro de Bloggers de Viagem Portugueses, e conhecemos o simpático Penafiel Park Hotel & Spa, que recomendamos (gostámos, em particular, do restaurante).

Planeie a sua próxima viagem

Faça as suas reservas através dos links parceiros. Não paga nem mais um cêntimo e para mim faz toda a diferença

  • Encontre os melhores hotéis no  Booking. É onde eu faço as minhas reservas
  • Se precisa de transporte próprio, alugue um carro com a Rentalcars 
  • Reserve os seus bilhetes para monumentos e tours, evitando filas, usando o Get your Guide 
  • Faça um seguro de viagem com a IATI (beneficia de 5% de desconto com este link).

Este post pode conter links de afiliados

2019-07-16T11:23:37+00:00

43 Comments

  1. Elvira Carvalho 16 Julho, 2017 em 8:25 - Responder

    De todas as localidades e monumentos só conheço os de Amarante, única localidade por onde já andei.
    Um abraço e bom domingo

  2. Mariazita 16 Julho, 2017 em 8:48 - Responder

    Querida Ruthia
    Aficionada como sou de História (nos meus tempos de estudante era uma cadeira das minhas preferidas) só podia gostar imenso desta postagem.
    Conheço relativamente bem o norte do país, e não há dúvida que aí se encontram muitos dos tesouros – e são muitos! – que povoam o nosso Portugal.
    Obrigada por este "reavivar" da memória.

    Votos de um Domingo feliz
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    • Berço do Mundo 16 Julho, 2017 em 12:06 - Responder

      História também era a minha disciplina preferida e na faculdade até me inscrevi numa cadeira de História de Arte, que foi uma delícia

  3. ✿ chica 16 Julho, 2017 em 10:14 - Responder

    Que rota linda cheia de coisas a ver, descobrir… Lindos lugares! bjs praianos,chica

  4. Marta Iansen 16 Julho, 2017 em 12:17 - Responder

    O post mais interessante e fenomenal que já apareceu neste blog!!!

  5. Amanda H. S. 17 Julho, 2017 em 16:52 - Responder

    Que lindo passeio! Quero voltar ao país para explorá-lo ainda mais, e esta rota com certeza estará no roteiro!

  6. Eloah Cristina 17 Julho, 2017 em 17:02 - Responder

    Que delicia de viagem ein!

  7. Analuiza Carvalho 17 Julho, 2017 em 21:06 - Responder

    Já sei para onde eu vou em minha próxima viagem à Portugal! Vou subir e buscar mais um pedaço da fundação e formação desse amado país! Obrigada por este texto!!!! 🙂

  8. Carol Belo 19 Julho, 2017 em 2:15 - Responder

    Oi Ruthia!!! Que delícia conhecer esses locais tão charmosos. Rota do Românico, mais um aprendizado. Eu ainda não conheço Portugal, mas, pelo visto, terei que fazer umas duas viagens, no mínimo, para explorar tantas coisas interessantes. Parabéns pelo post!!! Abraços. Carolina.

    • Berço do Mundo 19 Julho, 2017 em 6:14 - Responder

      Olá Carol. Eu, por outro lado, morei um ano no seu belo país e conheci tão pouco. E agora, acho que nem 10 viagens chegam para conhecer o que quero 🙂

  9. Uma bela rota pelo nosso património que é de uma grande beleza.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

  10. Rui Pires - Olhar d'Ouro 19 Julho, 2017 em 13:59 - Responder

    Estive recentemente no Mosteiro de Pombeiro.
    Bela mostra esta com que nos contemplas!
    Um brinde com vinho verde!
    Bjs

    • Berço do Mundo 19 Julho, 2017 em 14:07 - Responder

      Brindemos, com vinho verde porque não?, ao nosso país riquíssimo em história e património.

  11. Existe Sempre Um Lugar 20 Julho, 2017 em 14:15 - Responder

    Boa tarde, lindos locais repletos de historia para serem visitados, possivelmente os mesmos são desconhecidos da maioria dos portugueses.
    Resto de boa semana,
    AG

    • Berço do Mundo 29 Julho, 2017 em 6:46 - Responder

      Casa de ferreiro, espeto de pau, amigo AG. As riquezas à nossa porta passam mais despercebidas

  12. Juliana T.M. 20 Julho, 2017 em 23:00 - Responder

    Quanta història, Ruthia!
    Adorei conhecer essa rota, inclusive conhecer um pouco de um estilo arquitetônico que eu desconhecia!
    O mais interessante é que, vendo tua foto do Mosteiro de Santa Maria de Pombeiro, me lembrei da Sé de Braga. Como não vi Braga em tua lista, procurei informação e descobri que eu não estava tao enganada!
    😉
    Além de perto, ela tem estilo românico em sua composição!

    • Berço do Mundo 21 Julho, 2017 em 7:15 - Responder

      Não se enganou, Juliana. Existem muitos outros monumentos românicos no país, evidentemente. Em Guimarães também. Mas foi aquela região que se organizou para fazer uma rota com monumentos menos conhecidos e visitados.
      Abraço

  13. BLOG CASALVENTURA 21 Julho, 2017 em 15:01 - Responder

    Adorei o relato sobre a Rota Românica, não conhecia quase nada sobre cantinho histórico de Portugal. Com sua verdadeira aula com certeza adicionarei a minha wish list.
    Abs
    Thiago Lima

    • Berço do Mundo 21 Julho, 2017 em 17:23 - Responder

      Seja bem vindo aO Berço, Thiago. Fico feliz por ter gostado. Se aceder ao mapa completo da Rota, verá que é mais do que a região é mais do que uma aula de história, é todo um Tratado!
      Abraço

  14. BLOG CASALVENTURA 21 Julho, 2017 em 15:02 - Responder

    Adorei saber sobre esse cantinho histórico de Portugal, não o conhecia. Depois dessa verdadeira aula com certeza irei adicioná-lo a minha whish list.

    Abs

    Thiago Lima

  15. Alessandra Lima 22 Julho, 2017 em 1:09 - Responder

    Portugal é um lugar maravilhoso, sonho em conhecer. Adorei o texto. Parabéns.

  16. Laura Sette 22 Julho, 2017 em 10:54 - Responder

    Que rota interessante, nunca tinha ouvido falar! Encanto-me por tudo que é relativo à Idade Média. Já quero conhecer, obrigada por compartilhar! 🙂

  17. Pedro Henriques 22 Julho, 2017 em 14:40 - Responder

    Olá Ruthia, já tive o prazer de fazer essa rota temática e adorei porque sou um apaixonado por arquitetura e história. Já agora aproveito para deixar aqui a minha experiência: http://www.espiritoviajante.com/rota-romanico-vale-do-sousa/

  18. Fui ser viajante 22 Julho, 2017 em 16:35 - Responder

    Eu sou apaixonada por história, Ruthia! E só tenho uma frase pra você: que post lindo! Me emocionou e encantou a cada lugar. EU ultimamente venho sonhando muito com uma viagem de carro, sem pressa, por esse região. Seu post só me fez acreditar ainda mais que vai valer a pena cada esforço pra fazer acontecer! <3

    • Berço do Mundo 22 Julho, 2017 em 16:46 - Responder

      Que bom, Klécia. Verá que se vai apaixonar pela região. Se precisar de alguma dica, disponha.
      Beijinho

  19. Itamar (japa) 22 Julho, 2017 em 17:00 - Responder

    Adorei esta rota, parece ser realmente linda! Ainda quero ter a oportunidade de explorar estes cantos! Tomara! Adorei o post, está ótimo!!!

  20. Robbie Landeweerd 22 Julho, 2017 em 23:43 - Responder

    Adoro seus posts porque são uma verdadeira aula. Estou impressionadíssima com a arquitetura dessa rota. Já quero conhecer!

  21. Robbie Landeweerd 22 Julho, 2017 em 23:43 - Responder

    Adoro seus posts porque são uma verdadeira aula. Estou impressionadíssima com a arquitetura dessa rota. Já quero conhecer!

  22. Catarina Leonardo 23 Julho, 2017 em 0:19 - Responder

    Nem preciso de dizer o quanto eu gosto de história…. Muito interessante esta rota, ainda não conheço tudo!

  23. Manu World 24 Julho, 2017 em 18:43 - Responder

    Que maravilhas!!! Adoro!!! ❤️ Sou arqta e o Românico sempre foi o meu estilo arquitectónico favorito!!!
    Obgda pela partilha. Beijinho do Porto.

    • Berço do Mundo 26 Julho, 2017 em 6:56 - Responder

      Olá Manu. Eu gosto particularmente do gótico, aquela vontade de chegar ao céu e tornar os edifícios muito leves, aéreos, encanta-me. Para além da luz que trouxe para o interior.
      O românico é muito mais discreto embora, pelo que aprendi nesta pequena aventura, não é tão monótono como pensei.
      Beijinho

    • Manu World 29 Julho, 2017 em 20:49 - Responder

      è verdade…eu estive na catedral de colónia na alemanha, e amei…..é enormeeeeeeeeeeeeeeeeee, vai até ao céu…..subi as escadas até ao cimo da catedral e é brutal…. por dentro é fabulástica!!!! beijinho.

    • Manu World 29 Julho, 2017 em 21:00 - Responder

      eskeci-me te dizer k tens fotos desta minha viagem no meu blog das viagens (tenho 3 blogs) ,se kiseres ver. beijinho

  24. Unknown 25 Julho, 2017 em 21:07 - Responder

    Sou louca pra conhecer Portugal, ver todos esses castelos, além de conhecer toda essa história. Adorei seu post, eu amo viagens de carro, pois elas têm aquele jeito devagar, de poder parar em cada cantinho pra conhecer, ver as paisagens, enfim esse modo de viajar me encanta e se eu tiver oportunidade de unir numa viagem a Portugal: perfeito!
    Paula Abud

    • Berço do Mundo 26 Julho, 2017 em 6:55 - Responder

      Olá Paula. As viagens de carro têm um quê de "Jack Kerouac feeling" não acha? Podemos não ir para muito longe, mas a sensação de aventura acompanha-nos sempre. Se precisar de alguma dica para planear a sua viagem a Portugal, diga

  25. Portugalredecouvertes 28 Julho, 2017 em 21:10 - Responder

    Olá, estou aqui de novo, gostei do artigo, eu também tinha começado um texto sobre a rota do românico no norte de Portugal, mas pareceu-me que existem varias rotas do românico ?!
    https://www.youtube.com/watch?v=m95W9X-3mEk
    encontrei vários videos muito interessantes !
    vou ver o post mais recente,
    até já
    Angela

    • Berço do Mundo 29 Julho, 2017 em 6:42 - Responder

      Olá Ângela. Seja bem vinda aO Berço. A Rota do Românico tem 58 monumentos em 12 concelhos, então podemos personalizar a nossa rota. Por exemplo, é possível fazer a Rota por rio: vale do Sousa, vale do Tâmega, vale do Douro. Haja tempo!
      Abraço

  26. Beatriz Bragança 8 Setembro, 2017 em 9:54 - Responder

    Querida Ruthia
    Que interessante! como gostei de ler e ver as fotografias que publicou!
    Sabe? Eu sou natural de um desses concelhos que referiu e vivi lá até aos meus 13 anos.Agora só lá vou de vez em quando…
    Obrigada por partilhar.
    Um beijinho
    Beatriz

Deixe o seu comentário