Cozinha marroquina: os sabores de Marrocos

Siga-nos nesta viagem pelos sabores exóticos e marcantes da cozinha marroquina, uma gastronomia familiar, pretexto para momentos de reunião e partilha

A cultura marroquina é uma soma de influências, que resulta da interacção com o Mediterrâneo, a Península Ibérica e a França, a África subsaariana, sem esquecer o mundo árabe. Estas influências estendem-se obviamente à sua gastronomia.

Assim, na culinária marroquina temos sabores exóticos, especiarias, frutos secos e laranjas, mas também os produtos que compõem a dieta Mediterrânea – como as azeitonas e o pão – e que uniram vários países da bacia do Mediterrâneo numa candidatura a património imaterial da Unesco.

As especiarias são usadas em abundância, resultando em sabores fortes. O ras el hanout, mistura de especiarias que inclui canela, cominhos, cardamomo, gengibre, açafrão, anis estrelado, noz-moscada e sementes de coentro (provavelmente a lista não está completa), pode ser usada para temperar carnes ou peixes, por exemplo.

 

As azeitonas estão muito presentes na cozinha marroquina

 

Mas adianto-me. Primeiro é preciso dar as boas-vindas aos visitantes. Como chá de menta, pois claro. Feito com hortelã, chá preto e açúcar, esta é a bebida mais servida no país. Serve para acompanhar a refeição, para matar a sede em qualquer estação do ano ou simplesmente como pausa ou companhia.

Os marroquinos também o poderão receber com leite de cabra (aromatizado com flor de laranjeira) e tâmaras. A combinação pode parecer inusitada, mas é saborosa. Foi assim que  La Maison Bleue Batha, o riad onde ficamos em Fez, nos deu as boas-vindas.

Sentados à mesa em Marrocos

Hora de enfrentar uma lauta refeição. Começam por chegar as saladas marroquinas e muitas entradas, algumas das quais não conseguimos identificar.

Cada pequena tigela tem algo diferente: azeitonas temperadas, pastillas e rolinhos de legumes, pasta de grão-de-bico, alperces caramelizados, beringela confecionada de várias formas. Uma das mais populares será o zaalouk, uma pasta de beringela com tomate, azeite e especiarias.

Nos restaurantes usa-se talheres mas nas casas marroquinas come-se tradicionalmente com a mão direita e pão. O pão tradicional, redondo e achatado, acompanha tudo e serve também de “talher”. Ou não fosse o país um grande produtor de trigo.

 

Bissara, uma das consistentes sopas marroquinas

 

Também pode começar-se a refeição com uma sopa substancial, como a condimentada bissara, feita com ervilhas ou favas. Comi uma no Palais Zahia, em Tânger, e posso comprovar que é uma refeição completa.

Neste aspecto destaca-se ainda a harira, a típica sopa marroquina de lentilhas, grão-de-bico, cordeiro, tomate e vegetais usada para quebrar o jejum do Ramadão. Normalmente é servida com quartos de limão, que devemos espremer para aromatizar a sopa.

As estrelas da cozinha marroquina

Os dois pratos mais típicos de Marrocos são o couscous e as tajines. O couscous marroquino é uma herança cultural dos berberes, à base de sêmola de trigo. Normalmente é cozinhado ao vapor e acompanhado com carne ou peixe e legumes variados: cenoura, batata-doce, nabo, abóbora e pimentos. Se a tradição local é comê-lo às quintas-feiras, nos restaurantes este é servido diariamente.

As tajines carregam o nome do recipiente de barro onde são cozinhadas lentamente, recipiente esse muito popular nas lojas de artesanato. Há 1001 maneiras de fazer: tajine de cordeiro com ameixas e cebola caramelizada, tajine de beringela, tajine vegetariana, tajine de frango com limão, tajine de carne e figos…

É ir experimentando. Eu confesso que depois de vários dias, já não me apetecia comer tajine, possivelmente porque as tajines de legumes são mais monótonas (as fotos com carne eram pratos dos companheiros de viagem)!

 

As pastillas, tajines e couscous são típicos da cozinha marroquina

Nesta sequência de imagens: tajine, couscous e pastilla

 

A pastilla e a kefta também são muito características da gastronomia marroquina. A primeira é um folhado requintado, com recheio agridoce (vegetariano ou não), coberto com canela, amêndoas laminadas, sementes… A pastilla mais memorável que comi foi no Blanco Riad, em Tétouan. A kefta é uma almôndega de vaca ou cordeiro, temperada com salsa, coentros e hortelã e depois grelhada ou cozinhada em molho de tomate.

Os pratos de carne serão mais comuns, nomeadamente o frango, cordeiro, vaca e camelo (o Café Clock é famoso pelo seu hambúrguer de carne de camelo). Mas também se come peixe em Marrocos, sobretudo nas cidades costeiras. Vi barraquinhas que vendiam peixe frito nas medinas de várias cidades.

A melhor refeição que fiz em Marrocos foi precisamente peixe e aconteceu no Riad Fes – Relais & Chateau. O Hout Mkhadar (dizia o menu) era um peixe com legumes gratinados e especiarias. Ali comi também uma sobremesa ma-ra-vi-lho-sa: tarde de amêndoa e laranja.

 

A laranja é bastante usada na cozinha marroquina

 

Doces e chá para terminar

Para terminar este roteiro pela cozinha marroquina, nada como um sortido de docinhos, acompanhados do omnipresente chá para ajudar a digestão.

Para além do mel (dizem que o de argan é especialmente saboroso), os doces marroquinos são feitos à base de amêndoa, nozes (e outros frutos secos), figos, ameixas e tâmaras. Aliás, que maravilha as tâmaras de Marrocos: lindas, gigantes, doces e baratas. É comum ver tâmaras empilhadas, com ou sem recheio de noz, ao preço da chuva. É de aproveitar.

Mas, dizia eu, a refeição termina com um prato de doces: feqqas e briouats (à base de amêndoa), chebakyas (massa frita com mel, coberta de sementes de sésamo e canela), e tantos outro que não imagino sequer o nome. Pode encontrar uma variedade enorme à venda nos souks.

Mas o doces mais bonito é a chebakia (e eu não provei, snif, snif). A massa leva gergelim, farinha e trigo e de amêndoa, aromatizada com várias especiarias. Também conhecida como flor do deserto, este doce é frito, banhado com mel e água de flor de laranjeira e, por fim, gergelim.

Querem aventurar-se nos meandros da cozinha marroquina? Experimentem as receitas do amigo e viajante João Leitão.

 

As tâmaras fazem parte da cozinha marroquina

 

Nota: Esta viagem foi realizada a convite do Turismo de Marrocos.

Planeie a sua próxima viagem

Faça as suas reservas através dos nossos parceiros. Não paga nem mais um cêntimo e para mim faz toda a diferença

  • Encontre os melhores hotéis no  Booking. É onde eu faço as minhas reservas
  • Se precisa de transporte próprio, alugue um carro com a Rentalcars 
  • Reserve os seus bilhetes para monumentos e tours, evitando filas, usando o Get your Guide 
  • Faça um seguro de viagem com a IATI (beneficia de 5% de desconto com este link).

Este post pode conter links de afiliados

2019-05-11T11:14:31+00:00

33 Comments

  1. Elvira Carvalho 9 Maio, 2019 em 8:33 - Responder

    Um post muito saboroso. Adoro tâmaras, mas sou alérgica à hortelã.
    Abraço

    • Ruthia 9 Maio, 2019 em 13:17 - Responder

      Então, por favor, nunca tome chá em Marrocos 🙂 Fique-se pelos sumos de laranja,que são maravilhosos

  2. Joana Marques 9 Maio, 2019 em 9:54 - Responder

    Não acredito que não provaste as chebakias. São maravilhosas. Andei uma semana a comer. Não conseguia parar. Viciante. Fazem lembrar, em sabor, as nossas filhoses.

    • Ruthia 9 Maio, 2019 em 13:17 - Responder

      好家伙 mas onde é que comeste chebakias? Nunca foste a Marrocos…

      • Joana Marques 13 Maio, 2019 em 7:47 - Responder

        Um colega marroquino volta e meia traz para comermos 😁

  3. chica Tazza 9 Maio, 2019 em 10:28 - Responder

    Belo passeio pelas tradições e sabores e ver coisas exóticas sempre é legal, embora nem sempre as conseguimos provar! beijos, tudo de bom,chica

    • Ruthia 9 Maio, 2019 em 13:19 - Responder

      Eu gosto de experimentar comida local. Aliás, eu adoro comer. Apenas tenho dificuldade nos países onde se come pouco peixe, porque eliminei a carne da minha alimentação há uns anos

  4. Marta 9 Maio, 2019 em 15:18 - Responder

    É comida para alimentar um batalhão inteiro!

  5. Alessandra 11 Maio, 2019 em 13:00 - Responder

    Quanta fartura na cozinha marroquina, e quantos sabores diferentes. Deve ser uma delicia este banquete.

  6. Francisco Oliveira 12 Maio, 2019 em 16:32 - Responder

    Adoro a cozinha marroquina com as suas cores e cheiros.
    Um abraço e um bom Domingo.

  7. Mariana Menezes 13 Maio, 2019 em 14:46 - Responder

    Deu água na boca esse passeio pela Cozinha Marroquina! Eu adoro esse tipo de culinária! Tanto os doces quanto os salgados são muito saborosos!

  8. Christian 13 Maio, 2019 em 15:23 - Responder

    Gostei muito da cozinha marroquina na minha viagem, um dos pratos mais gostoso é típico é o cuscuz marroquino

  9. Gabi Torrezani 14 Maio, 2019 em 12:43 - Responder

    Só de ler o post e ver as fotos fiquei com água na boca para provar a comida Marroquina! Comemos bastante kefta no Brasil pela influência da imigraçao e é um dos meus pratos com carne favoritos!

    • Ruthia 14 Maio, 2019 em 12:46 - Responder

      É muito interessante a interação entre a emigração e a gastronomia de um país. Uma coisa que me surpreendeu bastante, quando morei no Brasil, foi a quantidade de restaurantes de sushi que existiam, porque em Portugal ainda não era muito comum. Suponho que também fosse influência dos fluxos migratórios

  10. Mariazita 14 Maio, 2019 em 16:54 - Responder

    Das duas vezes em que estive em Marrocos, o meu maior problema foi exactamente a alimentação.
    Reconheço que sou muito esquisita, e como não sinto prazer especial em comer – raramente sinto apetite – quando me falta a comidinha portuguesa… faço greve de fome 😊
    Da última vez que lá estive fui sozinha com o meu filho, e consolei-me a vê-lo comer… Ele, sim, é grande apreciador de sabores exóticos, e gosta de provar tudo.
    Eu prefiro um peixinho assado ou grelhado e uma boa salada (foi no que me vinguei, pois no resort as saladas eram muito variadas e boas) . Mas… acredita, tenho pena de ser assim… 😪
    De qualquer modo acho que esta reportagem está completíssima e digna de ser seguida por quem for a Marrocos – de que gostei imenso (aparte a comida…)

    Feliz Terça-feira e uma boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    • Ruthia 15 Maio, 2019 em 12:22 - Responder

      Quem não gosta de sabores exóticos tem alguma dificuldade, realmente. Ainda bem que, cá por casa, se vão educando os paladares para evitar greves de fome em qualquer parte do mundo

  11. Calu 14 Maio, 2019 em 21:44 - Responder

    Cá estou com água na boca diante deste desfile de delícias sem fim. Tenho especial apreciação por temperos fortes. Seria um prazer a mais , pra mim, degustar todas as delícias tentadoras aqui fotografadas.Começando pelo chá de hortelã e entremeando os dias com as tâmaras dulcíssimas, experimentaria todos os sabores com animação.
    Com um roteiro assim, difícil será não incluir o Marrocos na lista de próximas viagens.

    Boa continuação de semana pra ti.
    Bjka,
    Calu

    * Ps: Abril ainda é frio no Canadá, ao menos, pra mim.Venta muito.

    • Ruthia 15 Maio, 2019 em 12:23 - Responder

      As tâmaras e as laranjas estão no meu top de favoritos

  12. Angela C S Anna 15 Maio, 2019 em 9:46 - Responder

    Vc acha que alguém que eh vegano ou vegetariano se daria bem com a comida marroquina numa viagem de uns 10 dias? Vi que há vários pratos com carne

    • Ruthia 15 Maio, 2019 em 12:25 - Responder

      Há sempre opções de tajines vegetarianos, como expliquei no post, que acabam por ser um pouco monótonos. E as saladas. Não diria que Marrocos é o destino mais vegan friendly, mas os vegetarianos não passam fome. Aliás, o amigo João Leitão, que menciono no texto, é vegetariano e mora em Marrocos há muitos anos

  13. Carol Duque 16 Maio, 2019 em 22:58 - Responder

    Hummm, salivei lendo o post e vendo as fotos. Deve ser um lugar muito interessante em vários aspectos, amei as dicas. Tô sonhando com um viagem dessa.

  14. Andrea 18 Maio, 2019 em 12:47 - Responder

    Mas que post mais delicioso é esse….eu adoro experimentar as iguarias dos lugares quando estou por ai e certamente vários desses pratos me conquistariam, como vão, quando eu estiver por ai….

    • Ruthia 3 Junho, 2019 em 12:35 - Responder

      Eu também gosto de provar a gastronomia local. Mas o facto de não comer carne, às vezes complica um bocado a minha vida

  15. Fabíola Moura 2 Junho, 2019 em 23:07 - Responder

    Com tantas influências maravilhosas, impossível a cozinha marroquina não ser deliciosa. Adoraríamos provar todos esses sabores, pelo colorido das imagens, já fiquei com água na boca.

    • Ruthia 3 Junho, 2019 em 12:36 - Responder

      Os ingredientes são muito bons, sim. E saudáveis também. Aliás, partilhamos alguns dos produtos que eles usam, aqui na Península Ibérica, mas os pratos são confeccionados de formas diferentes

  16. Diego Arena 2 Junho, 2019 em 23:32 - Responder

    Acho que a gastronomia completa tanto uma viagem, os sabores do Marrocos devem ser incríveis.
    Fiquei com vontade de provar a Pastilla.

  17. Andrea 3 Junho, 2019 em 21:50 - Responder

    Eu acho lindo o colorido dos pratos, tenho curiosidade e ao mesmo tempo receio de provar comidas como a Marroquina, pois já sai de um restaurante árabe aqui no Brasil com fome, mas quem sabe no lugar de origem a minha opinião mude.

  18. Paula 4 Junho, 2019 em 4:59 - Responder

    Marrocos tem mesmo uma culinária maravilhosa! Apesar de amar tajines, são as pastillas que eu sempre repito, é muita coisa deliciosa nesse país!

  19. Fernanda 5 Junho, 2019 em 13:08 - Responder

    Minha prima acabou de voltar do Marrocos e falou bem da cozinha marroquina!

  20. Edson Amorina Junior 5 Junho, 2019 em 13:57 - Responder

    Nossa, que saudades do Tajine de carne com frutas secas! 🙂 Comemos num lugar sem muitas indicações, só por que parecia acolhedor e foi uma experiência excelente. A comida marroquina é realmente boa.

  21. Daniela Cascardo 6 Junho, 2019 em 14:47 - Responder

    Já vi que passar fome no Marrocos eu não vou kkkk Se tem pão e azeitona já está ótimo!!!! Já salvei o que eu gostei da descrição para comer quando eu chegar lá.

  22. Rui Barbosa Batista 6 Junho, 2019 em 18:07 - Responder

    Este é o post mais saboroso que vi nos últimos tempos 🙂 Como é bom recordar as maravilhas gastronómicas de Marrocos. Estou a ficar com ideias exóticas para jantar :))))

    • Ruthia 7 Junho, 2019 em 21:06 - Responder

      Gostava de saber o que resultou de tais ideias exóticas. Cozinhaste ou foste a um restaurante “diferente”?

Deixe o seu comentário