Pirâmides de Gizé. Um medo irracional

“O tempo ri de todas as coisas, mas as pirâmides riem do tempo”, diz um provérbio árabe. Das 7 Maravilhas do Mundo Antigo, a Grande Pirâmide é a única que pode fazê-lo… todas as outras desapareceram

Planalto de Gizé (ou Giza). As três pirâmides erguem-se contra o céu, desafiando a eternidade. Têm cerca de 4.500 anos e continuam magníficas. Pai (Quéops), filho (Quéfren) e neto (Miquerinos) mandaram construí-las em vida para as habitarem depois de mortos.

A popularidade das pirâmides de Gizé explica-se pela sua idade, claro. Pela sua majestade, com certeza. Por serem testemunhos gritantes de uma civilização extinta. Mas também pela exactidão matemática, que resultou em muitas teorias acerca dos seus construtores, sendo a mais mirabolante aquela que diz que as pirâmides foram construídas por extraterrestres.

É impossível ficar-lhes indiferente, as suas medidas são quase perfeitas e a posição orientada pelas estrelas… Só nos podemos quedar boquiabertos, perante estas maravilhas de engenharia.

Chegámos de manhã cedo (as pirâmides ficam a cerca de 20 km do centro do Cairo), mas os enxames de turistas já rodeiam as pirâmides como pequenas abelhinhas sedentas. Na azáfama desta gigantesca colmeia há espaço também para muitos polícias, vendedores ambulantes e condutores de camelos.

 

Pessoas em redor das pirâmides

Abu e Said pousam, orgulhosamente, para a foto (esq.).  O olhar encantador de um menino egípcio (dir.)

 

A pirâmide de Quéops, ou Grande Pirâmide (por ser a maior das 80 pirâmides do Egipto), é alvo de particular atenção, talvez por ser a última das Sete Maravilhas do Mundo Antigo, apontadas pelo poeta grego Antípatro de Sídon (que não viajou até à China, ou não teria esquecido a Grande Muralha).

Uma vertigem assalta-nos perante a sua imensidão. O primeiro degrau é mais alto do que eu! Reparo que lhe falta a ponta lá em cima. Segundo o guia, o pináculo seria feito de ouro maciço. Não admira que tenha desaparecido…

A morte ali tão perto

As visitas diárias à Grande Pirâmide são limitadas e o preço do bilhete muito mais caro. Portanto, optámos por comprar entrada para a pirâmide de Quéfren, esse faraó ilusionista.

Ilusionista porque fez crescer a sua pirâmide, escolhendo uma elevação no terreno e usando uma inclinação mais íngreme na construção. Resultado: quem vê ao longe, parece que a sua pirâmide é maior do que a do pai. Os homens antigos eram tão competitivos como os de hoje!

 

A famosa esfinge, junto às pirâmides de Gizé

O rosto da esfinge será do faraó Quéfren

 

Antes de entrarmos na segunda pirâmide, o guia alerta que devemos seguir de uma forma ordeira porque a mesma entrada serve para entrar e sair. Lamentavelmente, acrescentou, uma turista de trinta e poucos anos sentiu-se mal e, devido à dificuldade de acesso, a ajuda demorou um pouco. Resultado, a senhora acabou por morrer!

Talvez tenha sido o poder de sugestão, porque não sou uma pessoa medrosa. Mas, quando olhei para aquela passagem estreita e abafada, em direcção ao interior da terra, apinhada de gente, como formiguinhas em dois carreiros… não fui capaz de entrar.

Sentei-me ali perto, um pouco frustrada, e acabei por meter conversa com um pequeno vendedor de água enquanto aguardava pelo meu marido. Em frente ao túmulo de Quéfren, repousa a mítica esfinge. Com corpo de leão e cabeça humana, é tão bela como eu antecipei.

 

 

Antes de abandonarmos o planalto de Gizé, acordamos uma voltinha num camelo tão simpático quanto malcheiroso.

Eu entrei numa pirâmide – foi a lenga-lenga do Miguel durante o passeio, com o blaterar dos camelos como música de fundo.

– Mas não estava vazia? – pergunto, tentando refrear a sua euforia.

– Sim mas… Eu entrei numa pirâmide!

 

P.S. Visitámos as pirâmides de Gizé através de agência, pelo que não temos informação útil para quem as quer visitar de forma independente. Sugerimos a reserva de um tour de 1 dia às Pirâmides, Museu do Egipto e ao vibrante Bazar Khan El Khalili. Ou, em alternativa, uma excursão de meio dia às pirâmides e à esfinge.

Outro passeio interessante, com saída do Cairo, é a visita à Pirâmide de Djoser e Dahshur, que serviu de modelo para as últimas pirâmides de Gizé.

 

Planeie a sua próxima viagem

Faça as suas reservas através dos links parceiros. Não paga nem mais um cêntimo e para mim faz toda a diferença

  • Encontre os melhores hotéis no  Booking. É onde eu faço as minhas reservas
  • Se precisa de transporte próprio, alugue um carro com a Rentalcars 
  • Reserve os seus bilhetes para monumentos e tours, evitando filas, usando o Get your Guide 
  • Faça um seguro de viagem com a Iati seguros (beneficia de 5% de desconto com este link).

Este post pode conter links de afiliados

2019-09-11T15:34:24+00:00

27 Comments

  1. Juliana 24 Julho, 2012 em 8:34 - Responder

    Amei seu relato e suas fotos, Ruthia!
    Fiquei fascinada pelo Egito Antigo desde a minha primeira aula de Historia Geral na 6a. série 😀 O que mais suscita a minha curiosidade, surgida depois da inocencia da infancia e adolescencia, é a forma como foram erguidas aquelas piramides.
    Ja vi em documentarios como sao estreitas as passagens para entrar em uma piramide! Como sou um pouco claustrofobica e sofro com o calor, talvez minha curiosidade seria vencida pelo medo. O jeito é dar asas à imaginaçao e nao se iludir com a realidade.
    Beijinhos

    • Ruthia 24 Julho, 2012 em 10:20 - Responder

      Juliana, estar perto das pirâmides foi realmente um momento único!
      Elas continuam um mistério, têm os lados quase perfeitamente iguais, julgo que a margem de erro é de 0,1%. Nem os engenheiros de hoje, com toda a tecnologia de que dispõem, poderiam garantir tanta exactidão.
      Tenho pena de não ter sido capaz de entrar, mas a fila não parava e não podiam ficar à espera que eu ganhasse coragem… fica para a próxima, quem sabe?!

      Beijinhos

  2. Jose Nicolau 25 Julho, 2012 em 12:11 - Responder

    Muito bacana o Blog. Parabéns!!!

    • Ruthia 25 Julho, 2012 em 13:33 - Responder

      Obrigada José, são as palavras amigas que nos incentivam a fazer sempre mais e melhor.
      Abraço

  3. Célia Maria de Sousa Arruda Jacobino 25 Julho, 2012 em 13:10 - Responder

    Olá!
    É fascinante,me amarro na história antiga, e estar vendo essa maravilha bem de pertinho é uma esperiência única.
    Vim lá do Google + e já estou a te seguir, espero que você possa ir conhecer o meu cantinho.
    Obrigado, e muita paz.
    Bjos.

    • Ruthia 25 Julho, 2012 em 13:34 - Responder

      Olá Célia, seja muito bem vinda. Retribuirei a visita com todo o prazer. E sim, estar no Egito foi das melhores experiências da minha vida 🙂

      Beijinho

  4. Adriana 25 Julho, 2012 em 14:16 - Responder

    Oi guria linda, amei conhecer a história deste teu ponto de vista..sequer conhecia o fato da pirâmide 'maior'…mais uma coisa que aprendi contigo e só tenho a te agradecer por todas essas aulas de história que nos passa a cada postagem…. fico aguardando ansiosa cada post novo teu, pois sei que dessa maneira posso 'viajar' contigo e conhecer, sob novo ângulo, a história do mundo e suas maravilhas, sem contar nas fotos que são muito bonitas e nos mostram mais do que as que comumente vemos na internet!
    obrigada!
    bjs
    tititi da dri

    • Ruthia 25 Julho, 2012 em 15:27 - Responder

      Ai Adriana, não mereço tanto mimo. Fico até sem jeito… Vc é de uma gentileza rara. Eu é que tenho que te agradecer por sempre me visitar e deixar os seus comentários amáveis.
      Beijinho querida

  5. Dani 25 Julho, 2012 em 15:24 - Responder

    Muito legal!
    Adorei as fotos!
    Deve ter sido o máximo andar de camelo, mesmo com o cheirinho ruim hehehe
    Que pena que não pode entrar na pirâmide…
    Mas ver uma assim de pertinho deve ser a melhor sensação do mundo!!
    Viajei com vocês!

    beijos

    • Ruthia 25 Julho, 2012 em 15:48 - Responder

      Andar de camelo é o máximo, Dani! Super vista lá do alto (são muito maiores do que os cavalos), sela confortável e o cheiro, enfim, aguenta-se, hehe
      Que bom que consegui levá-la comigo nesta viagem 🙂
      Beijinho

  6. M. 25 Julho, 2012 em 20:58 - Responder

    Que viagens maravilhosas as vossas, espero um dia poder fazer nem que seja uma décima delas 😉
    Não terão sido decerto extraterrestres a construir as pirâmides, mas nem imagino as vidas sacrificadas para as erguer. Outros tempos!
    Beijinhos,
    Madalena

    • Ruthia 25 Julho, 2012 em 21:33 - Responder

      Alguns dizem que foi à custa da escravatura, mas alguns egiptólogos encontraram escritos daquela época que referem pagamento em… cerveja, vê lá.
      Parece que os homens iam trabalhar ali durante a época das inundações, 4 meses no ano, e achavam estar a cumprir a sua obrigação para com os deuses e o faraó, coitados.

      Mas, muito mais recentemente, quantos homens morreram na construção da Torre Eiffel?! Uma vez vi um documentário sobre isso e fiquei arrepiada.
      Beijinhos minha querida

  7. Clara 25 Julho, 2012 em 23:42 - Responder

    Que viagem….
    Acho que teria medo de entrar numa pirâmide… tanto mistério…. agora, subir num camelo (ou dromedário?), nem morta! Muito alto pra mim que tenho pavor de altura…
    As fotos ficaram lindas!

    • Ruthia 26 Julho, 2012 em 6:58 - Responder

      Clara, os turistas são tantos que tiram um pouco dessa mística às pirâmides. A fila não pára, tanto que quando comecei a hesitar, as pessoas atrás de mim começaram a empurrar, e eu acabei por sair da fila.
      Gostei de a "ver" por cá. Beijinho

  8. Stephanie 26 Julho, 2012 em 5:29 - Responder

    Ai andar de camelo, me conta essa experiência?! Dizem que eles são fedidinhos né..mas deve ser um passeio mto bacana, adorei :>
    Beijos

  9. Ruthia 26 Julho, 2012 em 7:00 - Responder

    Cheiram mesmo mal, hehe. Lembro-me de um filme qualquer em que a heroina borrifa o camelo com perfume, acho que é no Indiana Jones… 🙂
    Mas até que é confortável e a vista é muito boa, porque eles são bem altos.
    Beijinho

  10. Miguel 26 Julho, 2012 em 11:19 - Responder

    Amor tenho tantas saudades desta viagem. Eu voltava la mas com o nosso amor pequenote.

    • Ruthia 26 Julho, 2012 em 16:08 - Responder

      Sim, sim, eu também alinho numa segunda lua-de-mel, com o Pedrinho na bagagem e tudo. Que sejam muitos os destinos para partilharmos a dois, a 3, a 4… 🙂 Beijinho

  11. Fênix27 26 Julho, 2012 em 18:17 - Responder

    Oi!
    Vim agradecer sua reciprocidade, já fui lá no Facebook.
    Tudo de bom para ti.
    Bjos.

  12. Luã Almeida 27 Julho, 2012 em 19:42 - Responder

    Quanta inveja de ti!
    Dentre as sete maravilhas do mundo antigo, a que eu mais queria ter conhecido seriam os jardins suspensos da babilônia!
    Ainda assim digo, um dia ainda visitarei as pirâmides!
    Belas fotos, por sinal!

    • Ruthia 27 Julho, 2012 em 21:32 - Responder

      Ai Luã, os jardins suspensos deviam ser maravilhosos! Já não vamos a tempo de os conhecer, mas ainda podemos fazer a rota pelas novas 7 Maravilhas. Uma eu já visitei: o vosso Cristo Redentor 🙂
      Obrigada pela visita e pelo comentário.
      Beijinho

    • Luã Almeida 27 Julho, 2012 em 22:15 - Responder

      Ruthia, estou seguindo seu blog! Fico lisonjeado por visitar nosso monumento mais famoso. Eu mesmo nunca tive a oportunidade… Irônico, não?

      Até mais ver, beijo!

    • Ruthia 28 Julho, 2012 em 19:38 - Responder

      Que bom Luã, tb já estou lá no seu cantinho. Seja muito bem vindo… Mora longe do Rio de Janeiro?

  13. André Luz Gonçalves 28 Julho, 2012 em 23:12 - Responder

    Muito interessante, ótima narrativa, obrigado.

    • Ruthia 29 Julho, 2012 em 8:52 - Responder

      Olá André, seja bem vindo a este cantinho. Eu é que agradeço pelas palavras amáveis. Um abraço

  14. Angela Sant Anna 6 Março, 2017 em 13:11 - Responder

    mas olha só que esperto!! usou a "elevação no terreno e usando uma inclinação mais íngreme na construção" pra parecer maior, nuuuunca tinham me contado sobre isso! egito é um dos paises que mais tenho vontade de conhecer!

  15. Mariana Antunes 8 Outubro, 2018 em 21:11 - Responder

    Eu tenho muita vontade de conhecer o Egito! Minha fascinação vem
    desde às aulas de história até personagens que iam desvendar algum segredo no país de um livro ou filme. Nossa, adorei seu relato, muito interessante 🙂

Deixe o seu comentário

Subscreva a Newsletter 

Receba por email conteúdo, novidades exclusivas e muita inspiração para viajar a solo e em família (em português)

Fechar (X)

*Não envio spam