Atualizado em 8 Fevereiro, 2021

Há mais de dois mil anos que os romanos descobriram “águas que curam” em Portugal. Hoje, há mais de meia centena de estâncias termais no país, usadas tanto para fins terapêuticos, como de relaxamento. Descubra algumas das melhores termas de Portugal.

Em tempos associou-se o termalismo com idade avançada e problemas de saúde. Mas as termas são, cada vez mais, lugares para recuperar a energia, aliviar o stress e fazer tratamentos de beleza.

Um fim-de-semana num SPA termal pode ser a escapadela que precisa para fazer um reset, voltando à rotina com corpo e mente descansados. Imagine-se a beber um chá aromático, depois de uma massagem relaxante, a música suave no ar.

Inspirada no tema de Fevereiro “Viagens de fim-de-semana”, destaco oito termas em Portugal. Começamos no Norte e vamos descendo até ao Algarve, dando ainda um saltinho à ilha de São Miguel, nos Açores. Com certeza, uma destas estâncias nem fica longe de sua casa.

Aposto que, só de ler este artigo, vai sentir-se leve, leve.

Gerês (Norte)

Durante séculos esta água singular deu provas dos seus poderosos efeitos curativos. Tanto que se gravou na pedra, junto à Fonte da Bica, a inscrição em latim Aegri Surgunt Sani, isto é, “os doentes saem sãos”.

Diz a lenda que uma virgem bracarense, Santa Eufémia, foi lançada do alto da serra por pagãos, que a queriam sacrificar aos seus deuses. A pedra abriu-se para a receber, começando a brotar dessa fenda um líquido tépido e puríssimo, curativo.

Mata de Albergaria
A natureza que envolve a vila do Gerês.

Lendas a parte, esta água peculiar chega à superfície a uma temperatura de 47°C e com um pH elevado de 9,1. Límpida e sem cheiro, beneficia quem tem doenças do fígado, vesícula, obesidade, hipertensão e diabetes.

A estância termal do Gerês é do século XIX, mas foi renovada recentemente e oferece vários tratamentos de relaxamento e de beleza (como massagens adelgaçantes), na tranquilidade do único Parque Nacional do país. Ou seja, para além da água termal, poderá usufruir de ar puro e paisagens naturais. Leia também Gerês | 10 experiências incríveis.

Site das termas do Gerês aqui

Caldas das Taipas (Guimarães)

De origem romana, o balneário original – conhecido como Banhos Velhos – foi utilizado desde o século XVIII, esteve abandonado durante cerca 30 anos no século XX, mas renasceu em 2010 como espaço de cultura.

Nos “banhos novos”, um edifício remodelado em anos recentes, encontra programas terapêuticos, mas também de relaxamento e beleza. A Taipas Termal lançou mesmo uma marca de cosméticos naturais, artesanais, constituídos essencialmente por água termal.

Com um pH de 8,22 e uma temperatura de 30º C, estas águas  são indicadas para o tratamento de problemas respiratórios, de pele, doenças reumáticas e músculo-esqueléticas. Daí ter associado um centro de fisioterapia.

A cerca de 10 minutos, pode explorar o centro histórico do berço de Portugal, classificado pela UNESCO como património mundial. Precisa de mais argumentos? Dou-lhe 8 motivos para visitar Guimarães.

Site da Taipas Termal aqui | Programas do SPA termal

Edifício dos “Banhos Novos”.

São Pedro do Sul (distrito de Viseu)

As termas de São Pedro do Sul mais as mais frequentadas do país e umas das maiores da Península Ibérica. Para além de dois balneários dedicados à realeza – D. Afonso Henriques e o clássico Rainha D. Amélia – oferecem uma programação cultural ao longo de todo o ano.

Nas margens do rio Vouga, a estância vive de uma água doce que brota a 68,7º C, alcalina, carbonatada, bicarbonatada, sódica, sulfidratada e outros palavrões generosos para a saúde (mas com um intenso cheio a enxofre). São usadas no tratamento de diversos problemas respiratórios, reumáticos, metabólicos ou de origem muscular.

Os programas de relaxamento e bem-estar realizam-se no “Instituto AQVA”, no balneário rainha D. Amélia, onde encontrará uma gama de produtos de cosmética termal.

Aproveite para conhecer a pequena cidade, o antigo balneário termal romano e a Ecopista do Vouga. Não muito longe, na Serra da Freita, explore o assombroso Arouca Geopark.

Site das termas aqui

Luso (distrito de Coimbra)

Termas do Luso
© Termas do Luso

Esta será, porventura, a estância termal mais requintada da lista, com a elegância do edifício projectado, no século XIX, pelo francês Gustavo Eiffel (esse mesmo).

Depois existe a envolvência exuberante da floresta do Buçaco, isolada do mundo, com capelas e trilhos misteriosos, árvores centenárias, lagos, o Vale dos Fetos ou a Fonte Fria, sem esquecer o charmoso Palace Hotel. Motivos suficientes para o rei D. Manuel II, pouco antes de terminar a monarquia, vir passear nesta mata e fazer alguns tratamentos termais.

Quem não conhece a famosa água do Luso, engarrafada? Pois esta água levíssima e hipossalina, porque é muito pouco mineralizada, é benéfica para muitos problemas de saúde: da hipertensão à insuficiência renal, da diabetes à artrose e fibromialgia, sem esquecer doenças respiratórias e da pele.

O balneário termal oferece vários programas de relaxamento, utilizando, por exemplo, especiarias ou uvas, que têm efeitos revigorantes e hidratantes.

Na região, vale a pena visitar o Mosteiro dos Carmelitas Descalços e, a cerca de 20 minutos, a cidade de Coimbra, um destino intemporal que inspirou poetas e escritores. Antes de ir, não deixe de ler Coimbra: guia completo (com mapa).

Site das termas do Luso aqui

Monfortinho (distrito de Castelo Branco)

Recanto do Hotel das Termas de Monfortinho.

É na tranquilidade da Beira Baixa, numa zona de planalto abrigado de ventos, que encontramos as Termas de Monfortinho. Na margem direita do rio Erges (na outra margem fica Espanha), a estância termal oferece programas dedicados à saúde, serviços direccionados para o repouso, bem-estar e beleza.

As águas da Fonte Santa de Monfortinho – uma das mais antigas do país – são hipomineralizadas, bicarbonatadas, sódicas cálcicas e magnésicas (pH 5,7; temperatura 31º C) e, por isso, particularmente indicadas para problemas de pele, com destaque para a psoríase.

Para além da magia das águas termais, a estadia garante ar puro, natureza quase intacta e silêncio. A tranquilidade foi, precisamente, o que mais me fascinou durante a minha experiência, como tive oportunidade de partilhar em Termas de Monfortinho, água e silêncio.

Explore a pequena localidade, onde se destaca a Igreja de Nossa Senhora da Consolação (em honra de quem se faz o Bodo) e as minas de Monfortinho. Aproveite ainda para conhecer as duas aldeias históricas próximas, Idanha-a-Velha e Monsanto, e Penha Garcia, uma viagem com 500 milhões de anos.

Site das Termas de Monfortinho aqui

Cabeço de Vide (Alentejo)

© Termas da Sulfúrea

Situada no concelho de Fronteira, esta estância alentejana – mais conhecida como Termas da Sulfúrea – está rodeada de prados. As milagrosas águas sulfurosas são aconselhadas para o tratamento de reumatismo, doenças respiratórias e da pele.

As suas raríssimas particularidades despertaram o interesse da NASA, que enviou em tempos uma equipa de cientistas. A química dos minerais em Cabeço de Vide é idêntica à encontrada no planeta Marte.  Por isso, a NASA acredita que, se houver água no planeta vermelho, será muito parecida com esta água rara que nasce no Alentejo, com o um pH elevadíssimo de 11,5.

De visita à região, visite o castelo de Alter Pedroso (Alter do Chão), passe pela antiga estação ferroviária, com bonitos painéis de azulejos, conheça o Centro de Ecoturismo da Ribeira Grande (tem praia fluvial, piscinas, percursos pedestres e um observatório astronómico). Não muito longe, fica Marvão: a vila mais alta do Alentejo e a vila do Crato.

Site das Termas de Cabeço de Vide aqui

Monchique (Algarve)

No final de uma massagem relaxante no SPA termal de Monchique.

Em pleno Parque Natural da Serra de Monchique, esta estância possui quatro hotéis e um balneário, criando uma autêntica vila termal. A sua água mineral, que também é engarrafada, nasce das profundezas da terra, numa encosta situada no vale tectónio.

Os romanos conheciam esta água de Mons Cicus (origem latina de Monchique), referindo-se a ela como “sagrada”. Rica em bicarbonato, sódio e flúor (pH 9.5), é benéfica a quem tem problemas das vias respiratórias e músculo-esqueléticos. Ajuda ainda na recuperação da vitalidade orgânica e na sensação de bem estar, no retardar dos sinais associados ao envelhecimento e na prevenção da osteoporose.

Recordem o agradável fim-de-semana que passei nas Termas de Monchique: aqua beauty

Aproveite a serenidade deste recanto de casinhas brancas, com cameleiras, hortênsias ou árvores de fruto, fazendo caminhadas, passeios de moto 4 ou experiências gastronómicas com produtos locais (como mel e aguardente de medronho). A vila termal não fica longe de algumas das principais praias do barlavento algarvio: Alvor, Aljezur ou Odeceixe.

Site das Termas de Monchique aqui

Ferraria (Açores)

Piscina com água salgada termal, de origem vulcânica, junto às Termas de Ferraria.

Terminamos este roteiro pelas termas de Portugal na ilha açoriana de São Miguel, numa zona protegida com diversas estruturas de origem vulcânica. Neste local inóspito, mas de uma beleza singular, a própria água do mar é aquecida pelo calor que vem das profundezas.

Consideradas um caso único no mundo, devido à existência de água salgada termal com um teor de enxofre muito elevado, as águas da Ferraria são usadas no tratamento de reumatismo, nevrites e outras doenças.

Com instalações pequenas (sem alojamento associado), as termas podem ser uma alternativa relaxante numa manhã de chuva. O complexo possui ainda um restaurante, mas se quer comer ali, sugiro que faça reserva. Recorde a minha visita em Paisagens Atlânticas de São Miguel.

Site das termas de Ferraria aqui

Este post faz parte do 8on8, um projecto colectivo que une lindas viajantes em volta de um tema comum, no dia 8 de cada mês.

Espreitem os restantes textos sob o tema “Viagens de fim-de-semana”, inspirem-se e partilhem: Chicas Lokas na Estrada: Dicas para aproveitar o fim de semana no Rio de Janeiro | Destinos Por Onde Andei: Dica de hospedagem na Lapa Rio de Janeiro | Let ‘s Fly Away: Beto Carrero World, o que fazer em 2 dias e se divertir de montão | Viajante Econômica: Novotel é opção para fim de semana em Santos | Espiando pelo Mundo: Viajar para correr: viagens de fim de semana